Assim diz o Senhor: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas. Mas eles disseram: Não andaremos nele. Jr. 6:16

"Estou crucificado com Cristo" "Ich bin Mit Cruscificado Christus" "Yo estoy crucificado con Cristo" "Ik ben gekruisigd met Christus" "Я являюсь распят со Христом" キリストと共に十字架につけられています。Je suis crucifié avec le Christ 我是與基督釘在十字架上 אני ונצלב עם המשיח

sábado, 7 de agosto de 2010

DEZ ACUSAÇÕES CONTRA A IGREJA MODERNA

Por Paul Washer
 
. É um grande privilégio estar aqui esta noite. Um espantoso privilégio estar aqui diante de vocês e falar de coisas como avivamento, reforma, o trabalho de Deus entre seu povo e entre os homens. Mas esta noite irei compartilhar com vocês uma acusação, uma acusação, mas é uma acusação de esperança.
. . Enquanto eu estava orando sobre o que eu deveria fazer nesta série de reuniões cheguei a uma grande conclusão, um grande fardo que foi colocado no meu coração. Precisamos de avivamento. Precisamos de um despertar, mas não podemos simplesmente esperar que o Espírito Santo venha e limpe toda a bagunça que fizemos. Temos uma clara direção da Palavra de Deus no que diz respeito ao que Ele tem feito através de Cristo, a como Ele espera que vivamos, a como Ele espera que ordenemos Sua Igreja. E faz pouco bem aos homens clamarem por manifestações extra-bíblicas quando princípios bíblicos são violados ao nosso redor.
. . Eu quero que você saiba disto: há pouca necessidade para o diabo e os homens maus se oporem a um homem orando por avivamento a não ser que ele também esteja trabalhando por reforma. Nós temos recebido verdade e nós não podemos simplesmente fazer o que é certo aos nossos próprios olhos e depois esperar que o Espírito Santo venha e abençoe o nosso trabalho.
. . Ao olharmos para o Antigo Testamento, vemos que Moisés recebeu muita, muita detalhada explicação sobre como construir o templo. Agora, isso foi dado para o bem de Moisés ou para o bem da Igreja? Eu acho que o que está sendo explicado aqui é que Deus é específico na sua vontade e que nós não devemos presumir que podemos pegar o menor detalhe e ignorá-lo.
. . Agora eu sei que eu sou um homem frágil e sei que sou esbofeteado por muitas fraquezas, mas tenho uma acusação e eu não posso chamar-lhe de minha acusação porque quem sou eu para acusar alguém. E eu não ouso chamar de a acusação de Deus, pois como posso presumir sobre Seu nome. Mas eu vou dizer isso: quando eu olho ao redor na igreja e a comparo com as Escrituras, eu vejo que há certas coisas que têm de mudar.
. . Eu não sou Martinho Lutero. Isto não é “95 teses pregadas na porta de Wittemberg”, mas este é um fardo em meu coração e eu devo partilhá-lo. Eu devo partilhá-lo. Agora, deixe-me dizer isto. O que eu vou dizer irá irar alguns de vocês, mas permitam-me adverti-los. Pode ser verdade que você será capaz de me acusar de arrogância. Pode ser verdade que você não goste de como eu irei falar. Tenho sido muitas vezes arrogante e tenho muitas vezes falado a verdade de uma forma errada, mas não permitam que seja uma desculpa para vocês. A questão é: o que estou dizendo é verdade, mesmo sendo entregue através de um mensageiro defeituoso, ou não?
. . Outros se alegrarão no que vocês estão ouvindo e vocês vão querer dizer, “Amém”, e talvez levantar suas armas. Mas não façam isso porque todos nós temos uma medida de culpa. E se você tiver atingido algum estado espiritual, então eu diria o que meu irmão disse: “o que você tem que não tenha recebido? E se o recebeu, por que se orgulha, como se assim não fosse?” (1 Co 4: 7) Não seria melhor adorar a Deus em humildade?
. . Se você é um jovem ministro, eu não quero que você pegue estas verdades e as leve de volta e ataque sua igreja sem amor. Eu faria uma sugestão: veja se os joelhos estão sangrando antes de começar qualquer tipo de reforma. E se você é um ministro mais velho servindo ao Senhor, por muitos, muitos anos eu te imploro para não ser arrogante. Um rei velho e tolo pode aprender com os mais fracos de seus servos. E também peço isto: tenha a coragem de mudar tudo mesmo que seja o último dia de sua vida, pelo menos você pode ir para a glória sabendo que você tentou fazer uma reforma que era bíblica.
. . E eu vou dizer isso como um aviso aos homens mais velhos. Agora, me escutem cuidadosamente. Eu conheço a exortação em 1ª Timóteo capítulo cinco sobre a forma como devo dirigir-me a vocês e então eu irei dirigir-me a vocês desta forma. Mas há um grande despertar em curso neste país e não só neste país, mas na Europa onde tenho ido e na América do Sul e em muitos outros lugares estou vendo jovens voltando para a rocha a partir da qual fomos cortados. Eles estão lendo Spurgeon e Whitefield. Eles ainda estão ouvindo Ravenhill e Martin Lloyd-Jones e Tozer e Wesley. É um grande, enorme movimento, mesmo que a mídia popular e o cristianismo de hoje ainda não tenham descoberto o que está acontecendo. Eu quero que você saiba que eu nunca teria sonhado há 15 anos que eu veria o despertar que estou vendo. E não é por causa do meu ministério. Mas eu vou para lugares diferentes e vejo o que Deus está fazendo sem nenhum dos nossos ministérios.
. . Quer sejam mil moços, na Holanda, declarando “As coisas têm que mudar”, clamando a noite toda em oração pelo poder de Deus e pela verdade da Escritura. Ou na América do Sul, reconhecendo que eles foram muito influenciados pela psicologia e todo tipo de técnicas superficiais provenientes da América no que diz respeito ao evangelismo e, agora, em lágrimas e quebrantados estão voltando e evangelizando suas igrejas. Ou as cidades do interior dos Estados Unidos onde eu tenho sentado, por vezes, até duas, três horas da manhã discutindo teologia com jovens afro-americanos da periferia, a quem Deus vai levantar para pregar mais do que ninguém nunca vai ser capaz de imaginar neste dia.
. . Há um despertar.
. . E vou dizer-lhe isto com ternura. A maioria dos homens com mais de 40 anos não tem sequer uma pista sobre isso. Muitos dos jovens que estão voltando aos velhos homens e às velhas pregações e à verdade que tem trazido despertar inúmeras vezes neste mundo, a maioria desses jovens são muito jovens. E eles vão para seus pastores, eles vão para os seus dirigentes e dizem: “Olhe para isto, o que temos descoberto. Olha o que aconteceu no País de Gales. Olha o que aconteceu na África. Olhe para este e olhe para este e olhar para este ensino. É absolutamente incrível.” E a maioria deles irá desprezá-los ou irá dizer, “Isto não é nada diferente do que eu tenho pregado em 25 anos,” quando, na verdade, é completamente diferente do que eles têm pregado em 25 anos.
. . E, portanto, temos que ter muito, muito cuidado para compreender que Deus está fazendo o trabalho. E aquele que começou boa obra, vai completá-la. (Fp 1: 16)
. . Muitas pessoas têm a idéia de que vão orar em um avivamento. E outras pessoas dizem, “Avivamento virá se você orar ou não.” Eu não estou em qualquer um desses campos. Mas eu sei disto: quando vejo os homens e as mulheres e os jovens em todo o mundo orando por um despertar, para mim isto é o primeiro fruto do avivamento. E eu posso contar com o fato de que Aquele que deu os primeiros frutos trará a colheita inteira.
. . Agora, eu quero olhar para 10 acusações, se tivermos tempo, as coisas que eu penso que temos que mudar.
Primeira Acusação: uma negação prática da suficiência das Escrituras
. . Primeiro de tudo, a primeira acusação: uma negação prática da suficiência das Escrituras, especialmente na minha denominação, uma negação prática da suficiência das Escrituras.
2 Timóteo 3: 15 em diante diz:
. . “Porque desde criança você conhece as Sagradas Letras, que são capazes de torná-lo sábio para a salvação mediante a fé em Cristo Jesus. Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra.” (2 Tm 3:15-17)
. . Ao longo das últimas décadas tem ocorrido uma grande batalha no que diz respeito à inspiração das Escrituras. Agora, talvez, alguns de vocês não participam dessa batalha, porém muitos de nós, de denominações mais liberais, certamente temos uma batalha pela Bíblia.
. . Contudo, existe apenas um problema. Quando vocês, como um povo, chegarem a crer que a Bíblia é inspirada vocês terão lutado apenas metade da batalha. Porque a questão não é meramente se a Bíblia é inspirada. É ela inerrante? A grande pergunta que segue e que deve ser respondida: A Bíblia é suficiente ou será que temos que trazer todos os chamados estudos das ciências sociais e culturais, a fim de saber como funciona uma igreja? Essa é uma questão importante.
. . Ciências sociais, em minha opinião, têm tomado precedência sobre a Palavra de Deus de tal forma que a maioria de nós nem consegue sequer perceber. Elas penetraram de tal forma em nossa igreja, em nosso evangelismo e em nossa missiologia que você dificilmente pode chamar o que estamos fazendo de cristão. Psicologia, antropologia e sociologia se tornaram influencias primárias na igreja.
. . Vários anos atrás, quando eu estava no seminário lembro-me que um professor entrou na sala e começou a desenhar pegadas no quadro-negro. E enquanto ele as marchava através da lousa, ele se virou para todos nós e disse apenas isto: “Aristóteles está caminhando pelas salas desta instituição. Cuidado, pois eu escuto suas pegadas mais claramente do que as do apóstolo Paulo e da equipe de homens inspirados que estavam com ele e até mesmo do que as do próprio Senhor Jesus Cristo.”
. . Nós chegamos a acreditar que um homem de Deus pode lidar com determinadas pequenas áreas da vida da Igreja, mas quando as coisas apertam temos que ir para os peritos das áreas sociais. Isso é uma absoluta mentira. Diz aqui, nas Escrituras, que o homem de Deus seja equipado, adequado, equipado para toda boa obra.
. . O que Jerusalém tem a ver com a Roma? E o que nós temos a ver com todas essas modernas ciências sociais que foram criadas justamente como um protesto contra a Palavra de Deus? E por que razão é que evangelismo e missões e as chamadas “estratégias de crescimento para a igreja” são mais moldados pelos antropólogos, sociólogos e os estudantes de Wall Street que se alinham a cada tendência cultural?
. . Todas as atividades em nossa Igreja devem estar fundamentadas na Palavra de Deus. Todas as atividades em missões devem estar fundamentadas na Palavra de Deus.
. . A nossa atividade missionária, nossa atividade eclesiástica, tudo o que fazemos deve fluir de teólogos e exegetas, o homem que abre a sua Bíblia e tem apenas uma pergunta: “Qual é a Tua vontade, oh Deus?”
. . Nós não devemos enviar questionários para pessoas carnais a fim de descobrir que tipo de igreja eles querem freqüentar. A Igreja deveria ser “sensível ao que busca”, mas a Igreja deve reconhecer que só existe apenas um “buscador”. Seu nome é Deus, e se você quiser ser amigável com alguém, se você quiser acomodar alguém, acomode Ele e Sua glória, mesmo que você seja rejeitado por todas as outras pessoas. Nós não somos chamados para construir impérios. Nós não somos chamados para sermos exagerados. Somos chamados para glorificar a Deus.
. . E se você quer que a Igreja seja algo diferente do que um povo peculiar, então você quer alguma coisa que Deus não quer.
. . Eu quero que você escute só por um momento Isaías, capítulo oito. Ouçam o que ele diz: “Quando vos disserem: Consultai os necromantes e os adivinhos, que chilreiam e murmuram…” (Is 8: 19). Esta é uma definição perfeita, ou pelo menos uma ilustração, das ciências sociais e os gurus das “estratégias de crescimento para a igreja” e todo o resto, porque cada dois ou três anos todas as suas principais teorias mudam. Não apenas sobre o que é um homem ou como você o conserta, mas também o que é uma igreja e como você faz para ela crescer. A cada dois ou três anos há outra novidade que vem daquilo que pode fazer a sua igreja “super” aos olhos do mundo.
. . Recentemente um dos maiores e mais conhecidos especialista das “estratégias de crescimento para a igreja” disse que ele descobriu que ele estava completamente errado em toda a sua teoria. Mas, em vez dele voltar às Escrituras, de joelhos, quebrantado e chorando, ele sai para encontrar outra teoria.
. . Eles não dão qualquer palavra clara. Diz aqui em Isaías: “acaso, não consultará o povo ao seu Deus? A favor dos vivos se consultarão os mortos?” (Is 8: 19)
. . Devemos nós, como homens da igreja, como pregadores, como pastores, como cristãos, ir lá fora e consultar os mortos espiritualmente, em nome de todos aqueles que o Espírito Santo vivificou? Absolutamente não. Absolutamente não.
Segunda Acusação: um desconhecimento de Deus
. . A segunda acusação: um desconhecimento de Deus.
. . Às vezes me perguntam, “Irmão Paul, por favor, venha e faça uma série semanal sobre os atributos de Deus.”
. . E, muitas vezes, tenho que dizer isto: “Bem, irmão, você já pensou muito bem antes de me chamar?”
. . Ele disse: “O que quer dizer com isso?”
. . “Bem, é bastante controverso, o tema que você está colocando, que você está me dando para ensinar em sua igreja”.
. . Eles dizem: “Como assim é controverso? Estamos falando de Deus. Nós somos cristãos. Esta é uma igreja. Como assim é controverso?”
. . Eu disse, “Querido pastor, me ouça. Quando eu começar instruindo seu povo sobre a justiça de Deus, a soberania de Deus, a ira de Deus, a supremacia de Deus, a glória de Deus, você irá ter alguns de seus melhores e mais antigos membros da igreja levantados e dizendo alguma coisa como isto: ‘Esse não é o meu Deus. Eu nunca poderia amar um Deus como este’; porque eles têm um deus que eles fizeram com a sua própria mente e eles amam o que eles fizeram.”
. . Jeremias 9:23-24:
. . Assim diz o Senhor: “Não se glorie o sábio em sua sabedoria nem o forte em sua força nem o rico em sua riqueza, mas quem se gloriar, glorie-se nisto: em compreender-me e conhecer-me, pois eu sou o Senhor e ajo com lealdade, com justiça e com retidão sobre a terra, pois é dessas coisas que me agrado”, declara o Senhor.”
. . Salmos 50:
. . “Você pensa que eu sou como você? Mas agora eu o acusarei diretamente, sem omitir coisa alguma. Considerem isto, vocês que se esquecem de Deus; caso contrário os despedaçarei, sem que ninguém os livre.”
. . Agora, qual é o problema aqui? Há uma falta de conhecimento de Deus. Muitos de vocês, talvez pensem: “Oh, falar sobre os atributos de Deus e teologia, é tudo coisas altas, de torres de marfim, que não tem aplicação prática”.
. . Ouça a você mesmo, dizendo que o conhecimento de Deus não tem aplicação prática. Você sabe por que todas as suas livrarias cristãs estão preenchidas com livros de auto-ajuda e “cinco maneiras de fazer isso” e “seis maneiras de ser piedoso” e “10 maneiras para não cair”? Porque as pessoas não conhecem a Deus. E por isso elas precisam de toda sorte de pequenos dispositivos triviais da carne para mantê-los andando como ovelhas devem andar.
. . 1 Coríntios 15: 34.
. . “recuperem o bom senso e parem de pecar; pois alguns há que não têm conhecimento de Deus; digo isso para vergonha de vocês.”
. . Por que há um pecar desenfreado mesmo entre o povo de Deus? A falta de conhecimento do Deus. De Deus.
. . Agora deixa eu te fazer uma pergunta: Quando foi a última vez que você assistiu a uma conferência sobre os atributos de Deus? Quando foi a última vez que, como um pastor, você ensinou sobre quem é Deus? Quanto de todo o ensinamento que se passa na América toda a semana tem alguma coisa a ver com quem é Deus?
. . E, ainda ficamos abismados. Não é tão fácil ir com o fluxo, bastando seguir todo mundo e, então, um dia você ouve algo parecido com isto e de repente você diz, “eu não posso sequer lembrar quando alguém ensinou sobre os atributos de Deus”?
. . Não é de admirar que somos um povo como nós somos.
. . Para conhecê-Lo, tudo é sobre isto. Essa é a vida eterna. E a vida eterna não começa quando você passa através dos portais da glória. A vida eterna começa com a conversão. A vida eterna consiste em conhecê-Lo. Você sinceramente acha que você vai estar emocionado em se balançar em portões de pérolas e caminhar em ruas de ouro por toda uma eternidade? A razão por que você não vai perder a cabeça na eternidade, é isso: Há Um ali que é infinito em glória e você irá passar uma eternidade de eternidades buscando-O e você nunca vai ter seus braços sequer nos pés de montanha dEle.
. . Comece agora. Tantas coisas diferentes que vocês querem saber e fazer, e todos os livros. Pegue um livro sobre Deus, uma Bíblia, e estude-a para conhecê-Lo, para conhecê-Lo.
. . Domingo de manhã, por causa de tudo isso, eu quero dizer-lhes que seria melhor não ter sequer um domingo de manhã. Domingo manhã é a hora de maior idolatria em toda a semana da América, porque as pessoas não estão adorando o único Deus verdadeiro – a grande massa, pelo menos – mas adoram a um deus formado a partir dos seus próprios corações por sua própria carne, artifícios satânicos e inteligência mundana. Eles têm feito um deus, como eles próprios e ele parece mais com Papai Noel do que Jeová.
. . Não pode haver temor de Deus entre nós porque não há conhecimento de Deus entre nós.
erceira Acusação: uma falha ao falar da depravação do homem
. . A terceira acusação: uma falha ao falar da depravação do homem.
. . Quando eu olho para o livro de Romanos, que é um dos meus livros preferidos da Bíblia, ele não é uma teologia sistemática, mas se você pudesse dizer que qualquer livro da Bíblia foi uma teologia sistemática o livro de Romanos seria o mais próximo. Não é surpreendente que Paulo gasta os três primeiros capítulos do livro procurando fazer uma coisa? Levar todos os homens à condenação. Levar todos os homens à condenação.
. . Mas não é que a condenação seja seu grande bem supremo de sua teologia. Não é o seu fim ou o seu objetivo final. É um meio para trazer salvação para seus leitores, porque os homens têm que ser levados ao conhecimento de si próprios, antes de entregar a si próprios a Deus. Hoje, os homens são feitos de tal modo decaídos que você tem que cortar deles absolutamente toda esperança na carne antes que eles possam ser levados a Deus.
. . Isto é importante em tudo, mas é especialmente importante no evangelismo.
. . Eu me lembro. Eu tinha 21 anos e tinha acabado de ser chamado para pregar e eu caminhava em uma antiga loja onde eles venderiam ternos para os ministros pela metade do preço. Eles têm feito isso por 50, 60 anos. E eu caminhava lá dentro, e eu estava procurando um terno em Paducah, Kentucky e inesperadamente a porta se abriu. Eu ouvi a campainha tocar. A porta se fechou. Havia um velho, velho homem em pé ali. Eu nunca peguei o nome dele, mas quando ele entrou, ele olhou para mim.
. . Ele disse: “Garoto, você foi chamado para pregar, não é?”
. . Eu disse: “Sim, senhor.”
. . Ele era um velho, velho evangelista. Ele disse: “Você vê onde está aquele prédio fora deste prédio?
. . Eu disse, “Sim, senhor”.
. . Ele disse: “Eu costumava pregar ali. O Espírito de Deus desceria e almas seriam salvas.”
. . Eu disse: “Senhor, por favor, me fale sobre isto.”
. . Ele disse: “Não era nada como este evangelismo de hoje.” Ele disse: “Nós pregaríamos por duas ou três semanas e não daríamos qualquer convite para os homens pecadores. Nós prepararíamos e prepararíamos e prepararíamos os corações dos homens até que o Espírito de Deus começasse a trabalhar e quebrantar seus corações.”
. . Eu disse: “Senhor, como você sabia quando o Espírito de Deus estava vindo para quebrantar seus corações?”
. . E ele disse: “Bem, deixe-me dar-te um exemplo.” Ele disse: “Muitas décadas atrás eu entrei nessa loja para comprar um terno. Alguém tinha me dado $30 e me disse: “Pregador, vá comprar um terno para você amanhã.” E quando eu atravessei a porta, um jovem balconista que cuidava da loja voltou-se e olhou para mim e quando ele olhou para mim ele caiu no chão e clamou, ‘Quem pode salvar um ímpio como eu?’. E eu sabia que o Espírito de Deus tinha caído sobre aquele lugar.”
. . Hoje em dia, nós simplesmente entramos e conversamos com eles e damos-lhes três perguntas exploratórias e perguntamos-lhes se eles querem orar uma oração e pedir para Jesus entrar em seus corações e os fazemos duas vezes mais filho do diabo, que nunca mais voltarão a serem abertos ao Evangelho por causa da mentira religiosa que nós, como evangélicos, temos vomitados de nossas bocas.
. . Vou dizer algo que Leonard Ravenhill costumava dizer: “Agora você entende porquê eu prego em vários lugares uma vez.” Mas essa é a verdade.
. . Quando lidamos com o pecado superficialmente, em primeiro lugar, estamos lutando contra o Espírito Santo. “Quando ele vier, convencerá o mundo do pecado” (Jo 16:
Há muitos pregadores populares, hoje, que estão mais preocupados em dar-lhes sua melhor vida agora do que uma na eternidade. E eles falam com orgulho sobre o fato deles não mencionarem o pecado em sua pregação. Eu posso dizer-lhes isto: o Espírito Santo não tem nada a ver com o ministério deles, senão que Ele esteja trabalhando contra. Essa seria a única coisa
. . Por quê? Quando um homem diz que ele não tem nenhum ministério que trata com o pecado do homem, o Espírito Santo o faz. É um ministério primário do Espírito Santo entrar e condenar o pecado do mundo. E, assim, saibam disso: quando você não trata especificamente, apaixonadamente, amorosamente com o homem e seu estado depravado, o Espírito Santo não está em nenhuma parte perto de você.
. . Ademais, nós somos enganadores quando lidamos de modo superficial com o mal dos homens, como pastores dos dias de Jeremias. “Eles tratam da ferida do meu povo como se não fosse grave. ‘Paz, paz’, dizem, quando não há paz alguma.” (Jr 6: 14)
. . Nós não somos apenas enganadores, mas somos imorais. Como um médico que nega o seu juramento hipocrático, pois ele não quer dizer más notícias a alguém, porque acha que a pessoa se rebelará contra ele, ficará zangado com ele, ficará triste. E, portanto, ele não diz a eles a notícia mais necessária para salvar suas vidas.
. . Eu ouço os pregadores de hoje. Eles dizem: “Não. Não, não, não, não, não. Você não entende, irmão Paul. Nós não somos como as pessoas do tempo de John e Charles Wesley. Não somos como a cultura que Whitefield se dirigiu ou Edwards. Não somos tão robustos como eles são. Nós estamos quebrados. Nós não temos tanta auto-estima. Nós somos frágeis. Nós não conseguimos suportar pregação como aquelas. “
. . Ouça-me. Alguma vez você já estudou a vida destes homens? A cultura deles também não podia suportar o que eles pregavam. Ninguém jamais foi capaz de suportar a pregação do evangelho. Ou eles se virarão contra ela com uma fúria de um animal ou eles se converterão.
. . E para dar-lhes uma coisa sobre nós sermos frágeis e não termos auto-estima: o nosso país e este mundo estão saturados com esta enfermidade nojenta da auto-estima. Nosso maior problema é que nós nos estimamos mais que estimamos a Deus.
. . Somos também ladrões quando não falamos muito sobre o pecado. Nós somos ladrões.
. . Deixe-me perguntar-lhe uma coisa. Esta tarde, esta manhã, onde foram todas as estrelas? Será que algum gigante cósmico veio e as recolheu em um cesto e as jogou em outro lugar? Aonde foram todas as estrelas esta manhã? Eles estavam lá, porém você não conseguia vê-las. Mas então, o céu ficou mais e mais escuro e quando virou uma noite negra como breu as estrelas saíram na plenitude de sua glória.
. . Quando você se recusa a ensinar sobre a depravação radical dos homens, é impossível que você glorifique a Deus, seu Cristo e a sua cruz, porque a cruz de Jesus Cristo e a glória deste é mais magnificada quando é colocada sobre o pano de fundo de nossa depravação.
Ela muito amou, porque foi muito perdoada. E ela sabia o quanto ela tinha sido perdoada, porque ela sabia quão depravada ela era.
. . Oh, nós estamos com medo de dizer aos homens sobre sua maldade e, por causa disso, eles nunca poderão amar a Deus. Temos roubado a oportunidade de se vangloriarem não em si mesmos, mas para seguir a exortação: “quem se gloriar, glorie-se no Senhor” (2 Co 10: 17).
Quarta acusação: Uma ignorância do evangelho de Jesus Cristo.
. . Nossa quarta acusação: Uma ignorância do evangelho de Jesus Cristo.
. . Eu quero submeter a você esta noite que este país não é endurecido ao evangelho. É ignorante do evangelho, porque a maioria dos seus pastores o é. E deixe-me repetir isto. O problema deste país não são os políticos liberais, a raiz de socialismo, Hollywood ou qualquer outra coisa. É o, assim chamado, pastor evangélico de nossos dias e o pregador de nossos dias e o evangelista de nossos dias. É aí que o problema deve ser encontrado. Nós não conhecemos o evangelho. Nós pegamos o glorioso evangelho de nosso Bendito Deus e o reduzimos a “quatro leis espirituais” e “cinco coisas que Deus quer que você saiba”, com uma pequena e supersticiosa oração no final que se alguém repetir depois de nós com bastante sinceridade nós o declaramos, de uma forma papal, nascida de novo.
. . Nós trocamos regeneração por “decisionismo”.
. . Em primeiro lugar, eu estou pasmo com quantos crentes devotos, andando na fé há 30 ou 40 anos, virão a mim, depois de eu falar sobre o que eu vou falar por alguns poucos minutos, com lágrimas dizendo: “Irmão Paul, que eu nunca ouvi isto antes em minha vida”. E, entretanto, esta é a doutrina histórica de redenção, de propiciação.
. . Veja! Quando você falar sobre o evangelho, meu querido amigo, o faça claramente. O evangelho começa com a natureza de Deus e vai para a natureza do homem e a queda deste. Essas duas grandes colunas do evangelho vêm montar para nós o que deveria ser chamada e conhecida por cada crente como “o grande dilema”. E o que é este dilema? Se Deus é justo ele não pode te perdoar.
. . O maior problema em todas as Escrituras é este. Como Deus pode ser justo e ao mesmo tempo o justificador de homens maus, quando as Escrituras por toda a Bíblia declaram — especialmente em um texto que eu tirei de Provérbios — “O que justifica o ímpio, e o que condena o justo, tanto um como o outro são abomináveis ao SENHOR.” (Pv 17: 15). E ainda assim, todas nossas canções cristãs ostentam sobre como Deus justifica o perverso.
. . Este é o maior problema. Esta é a acrópole da fé cristã. Assim disse Martyn Lloyd-Jones e Charles Spurgeon e qualquer outro que leu Romanos 3. Você tem que mostrar isto às pessoas. O grande problema é que Deus é verdadeiramente justo e todos os homens são verdadeiramente maus. Deus para ser justo deve condenar o homem mau. Entretanto Deus, para a própria glória dele, pelo grande amor com que ele nos amou, enviou seu Filho, o qual caminhou nesta terra como um homem perfeito. E, então, de acordo com o plano, o plano eterno de Deus, ele foi àquele madeiro. E naquele madeiro, ele tomou nosso pecado. E, assumindo a posição legal de seu povo e carregando a nossa culpa, ele se tornou uma maldição.
“Maldito todo aquele que não persiste em praticar
todas as coisas escritas no livro da Lei” (Gálatas 3:10)
. . Cristo nos resgatou da maldição se tornando uma maldição em nosso lugar.
. . Tantas pessoas têm esta visão romântica, impotente do evangelho onde o Cristo está lá, pendurado no madeiro, sofrendo debaixo das feridas do Império Romano, e o Pai não teve a força moral para agüentar o sofrimento de Filho dele, e, por isso, virou Sua face.
. . NÃO!!
. . Ele se virou porque o Filho dele se tornou pecado.
. . E tantos, quando Ele está naquele jardim e grita “passa de mim este cálice”, especulam: “Bem, o que esteve no cálice? Oh, é a cruz romana. É o chicote. São os cravos. É tudo isso e tudo aquilo.”
Eu não quero desconsiderar os sofrimentos físicos de Cristo naquele madeiro, mas o cálice era o cálice da ira de Deus Pai que teve que ser despejada sobre o Filho. Alguém teve que morrer, suportando a culpa do povo de Deus, desamparado por Deus pela justiça dele e esmagado debaixo da ira de Deus, pois “ao SENHOR agradou moê-lo”. (Isaías 53: 10)
. . Eu estava na Alemanha um tempo atrás ou em um seminário alemão na Europa há um tempo e vi este livro “A Cruz de Cristo” – não era o livro de John Stott, era outro. Eu o peguei e comecei a ler e isto é o que ele dizia: “O Pai olhou do céu para o sofrimento infligido sobre Seu Filho pelas mãos de homens e considerou isto como pagamento pelos nossos pecados.”
. . Isso é heresia.
. . Agora, aquele sofrimento físico, aquela crucificação era tudo parte da ira de Deus. Teve que ser um sacrifício de sangue. Eu não desprezarei nada disso. Mas, meu amigo, se você parar aí, você não tem um evangelho.
. . E deixe-me lhe perguntar: Quando o evangelho é pregado e compartilhado em evangelismo pessoal atualmente, você sequer ouve as coisas que eu há pouco disse? Quase nunca. Nunca é deixado claro que Cristo pôde redimir porque Ele foi moído debaixo da justiça de Deus e tendo satisfeito a justiça divina com a Sua morte, Deus é, agora, justo e o justificador de ímpios.
. . Redução de evangelho.
. . E nós ainda nos perguntamos por que não há nenhum poder nele. Nós nos perguntamos por quê. O que aconteceu? Eu irei te falar. Quando você deixa de lado o evangelho e não há mais nenhum poder em sua suposta mensagem do evangelho, você, então, tem que recorrer a todos aqueles pequenos truques de mercado, que são tão proeminentemente usados hoje em dia para converter os homens. E nós todos conhecemos a maioria deles. Todos eles não funcionam.
. . Meu querido amigo, deixe-me dizer isto. Vários anos atrás, quando eu estava me formando do seminário eu tive que tomar uma decisão se eu ia ir fazer meu Ph.D. Deus, a fim de salvar minha vida espiritual, me enviou para o meio das selvas no Peru, o mais longe possível do mundo acadêmico que eu poderia ficar. E lá eu comecei a perceber algo.
. . Como disse Spurgeon, “Maiores homens, com mentes maiores que a minha, se aproximaram desta doutrina da Segunda Vinda, mas em vão. É uma grande e poderosa doutrina.” Ele disse, “eu me fixarei nisto: buscar compreender algo sobre Jesus Cristo e ele crucificado.”
. . Deixe-me lhe falar isto. Eu fico tão bravo quando as pessoas tratam o glorioso evangelho de Cristo como se fosse um primeiro passo para entrar no Cristianismo, que só leva aproximadamente 10 minutos de aconselhamento e então você parte para coisas maiores. Isso lhe mostra como nós somos patéticos em nosso entendimento das coisas de Deus.
. . Meu amigo, no dia da Segunda Vinda você entenderá absolutamente tudo sobre a Segunda Vinda, mas você estará em eternidade de eternidades no céu e você vai nem mesmo começar a compreender a glória de Deus no Calvário. É tudo sobre isto.
. . Moço, jovem pregador, me escute. Persiga-O naquele madeiro. O que significa. Você não precisará construir fogos estranhos em seu forno, se você só pegar um relance do que ele fez naquele madeiro, o que ele fez naquele madeiro.
. . Eu amo dizer isto. Eu já o disse um milhão de vezes. Abraão leva Isaque para cima daquela montanha. O filho dele, o único filho dele quem ele amou. Você supõe que o Espírito Santo estava tentando para nos falar sobre algo futuro? E aquele filho não resistiu, mas se entregou. E quando aquele pai rendeu sua vontade a vontade de Deus, ele levantou aquele cutelo para perfurar o próprio coração de seu filho. Mas a mão dele foi detida e foi falado ao velho homem que Deus tinha provido um carneiro.
. . Tantos cristãos pensam: “Oh, que final bonito para aquela história.” Não é o fim. É o intervalo. Milhares de anos depois, Deus o Pai pôs Sua mão sobre Seu Filho, o único Filho dele quem ele amou, e tirou o cutelo da mão de Abraham e sacrificou Seu Filho Unigênito sob a plena força de Sua ira.
. . Agora você sabe por que aquele pequeno evangelho que você prega não tem nenhum poder? Porque não é nenhum evangelho. Vá ao evangelho. Gaste sua vida em seus joelhos. Se afaste dos homens. Estude a cruz.
Quinta Acusação: Um Desconhecimento da Doutrina da Regeneração.
A quinta acusação: desconhecimento acerca da doutrina da regeneração, desconhecimento acerca da doutrina da regeneração
Meu prezado amigo — e quero falar aqui sem rodeios —, sei que há calvinistas aqui e sei que há arminianos aqui, e sei que há todo tipo de animal estranho entre um extremo e outro, mas quero que você saiba de uma coisa. Embora eu penda mais para… bem, acho que posso me considerar um “spurgeonista” de cinco pontos… quero que saiba disto. A questão central não é o calvinismo. Não… Vou ter muitos problemas quando esta mensagem estiver na Internet.
A questão central não é o calvinismo. Vou dizer para você qual é a questão central: regeneração. E é por isso que posso ter comunhão com Wesley, e com Ravenhill, e com Tozer, e com todos os demais, porque, independentemente de como eles se posicionavam nas demais questões, eles criam que a salvação não pode ser manipulada pelo pregador, e que é uma obra extraordinária do poder do Deus todo-poderoso. E junto com eles, portanto, eu me posiciono, na certeza de que foi uma obra de Deus.
Muito maior é a manifestação do poder de Deus na obra regeneradora do Espírito Santo do que na criação do mundo, do universo, porque ele criou o mundo “ex nihilo”, do nada. Mas ele cria o ho-mem a partir de uma massa corrompida.
E a regeneração encontra correspondência na própria ressurreição de nosso Salvador. Se você prega… entendo que, quanto à pregação, haja mestres, e pregadores, e expositores, e isso e aquilo, e todos são muito necessários para a saúde da igreja. Mas você precisa entender uma coisa. Quando o velho G. Campbell Morgan – há relatos disso – quando ele ia subir na torre majestosa para pregar, cita-va para si mesmo: “como ovelha para o matadouro, e como cordeiro mudo diante do tosquiador” (A-tos 8: 32). Ele sabia que, sem uma manifestação magnífica da obra regeneradora do Espírito Santo, na-da do que ele dissesse teria vida. É o Espírito que dá vida e, nesse sentido, todos nós que proclamamos sua Palavra devemos proclamá-la como profetas.
O que eu quero dizer com isso? Somos sempre, sempre um Ezequiel diante daquele vale de ossos secos. E como eles estão secos! E então saímos para ver tudo aquilo e o que é que fazemos? Profetiza-mos! Dizemos “Ouçam a Palavra do Senhor”. E sabemos que o sopro de Deus deve soprar nesses mortos, caso contrário não ressurgirão. Aí, quando você tiver plenamente captado isso no mais íntimo de seu ser, não vai mais se entregar à manipulação que tantas vezes é feita em nome do evangelismo neste país. Você proclamará a Palavra de Deus. Proclamará.
Doutrina da regeneração. Observe os irmãos Wesley. Observe por um instante o que tiveram de enfrentar, e meu querido Whitefield. E o que foi que enfrentaram? Todas naquela época se consideravam cristãos, completamente cristãos. Por quê? Bem, todos tinham sido batizados na infância, e assim ingressaram na aliança. Foram confirmados. Viveram como diabos. A regeneração foi assim trocada por um tipo de atitude meramente confessional, nominalista, que ganhou foros autoridade por parte das mãos de líderes religiosos da época.
E é aí que chegam os irmãos Wesley. “Não! Não está tudo certo com a alma de vocês! Vocês não nasceram de novo! Não há nenhuma prova de vida espiritual! Examinem-se. Provem a si mesmos para ver se estão na fé. Certifiquem-se de seu chamado e de sua eleição. Você precisa nascer de novo”.
Aqui nos Estados Unidos, por causa dos últimos anos e das últimas décadas de evangelismo, per-deu-se totalmente a percepção do que significa ser nascido de novo. Tudo o que significa é que uma vez, numa cruzada, você tomou uma decisão e acha que o fez com sinceridade. Mas não há nenhuma prova de uma obra sobrenatural de recriação do Espírito Santo em sua vida. Se alguém – não se alguns – “se alguém está em Cristo, nova criatura é”.
E agora, o mesmo acontece hoje. O que está diante de nós hoje? Eu vou te dizer o que enfren-tamos hoje. Não é, na maioria das vezes, necessariamente, a questão do batismo infantil. Não é uma confirmação por uma autoridade eclesiástica da Igreja Alta. O que está diante de nós é a “oração do pecador” para aceitar Jesus. E estou aqui para te dizer: se há uma coisa contra a qual eu decidi declarar guerra, é contra essa oração.
Você dirá: “Mas irmão Paulo…”.
Sim, da mesma forma, em minha opinião, que o batismo infantil foi o bezerro de ouro da Reforma, hoje, para os batistas, e para os evangélicos conservadores , e para todos os que os seguem, vou dizer a você que a “oração do pecador” enviou mais gente para o inferno do que qualquer outra coisa na face da terra.
Aí você pergunta: “Como você pode dizer uma coisa dessas?”.
Abra a Bíblia aqui para mim e me mostre, por favor. Eu adoraria que você pudesse se levantar e mostrasse onde alguém evangelizou dessa forma. As Escrituras não afirmam que Jesus Cristo veio até a nação de Israel e disse “O tempo se cumpriu, e o Reino de Deus está próximo, agora quem gostaria de me convidar para entrar em seu coração? Estou vendo uma mão ali.”
Não é isso que a Bíblia diz. Jesus disse: “Arrependam-se e creiam no evangelho”.
Ora, os homens hoje estão confiando no fato de que, pelo menos, uma única vez na vida, fizeram a “oração do pecador”, e então lhe disseram que estavam salvos porque foram suficientemente since-ros. E assim, na experiência de salvação deles, se você perguntar “Você é salvo?”, eles não dizem “Sim, porque estou confiando em Jesus e porque há provas irrefutáveis que me dão segurança de ter sido nascido de novo.”
Não. Eles dizem: “Sim, uma vez em minha vida fiz uma oração”.
E vivem como diabos. Mas fizeram uma oração. E alguns deles… fiquei sabendo de um evangelis-ta que estava insistindo com um homem para que fizesse a tal oração. Por fim, o homem ficou tão sem graça que o evangelista disse “Bem, sabe de uma coisa?
Vou orar a Deus por você e, se é o que você deseja dizer a Deus, aperte minha mão”. Contemple o poder de Deus.
Decisionismo, a idolatria do decisionismo. Os homens acham que vão para o céu pelo fato deles terem julgado a sinceridade de suas próprias decisões.
Quando Paulo veio à igreja de Corinto, não lhes disse “Olhem, vocês não estão vivendo como cristãos, então vamos voltar àquele momento da vida de vocês em que fizeram aquela oração. Vamos ver se vocês foram sinceros”.
Não, ele disse: “Examinem-se para saber se estão na fé”.
Porque quero que saiba, meu amigo, que a salvação é somente pela fé. É obra de Deus. É graça sobre graça, sobre graça. Mas a prova da conversão não é apenas o seu exame de sua sinceridade no momento de sua conversão. É um fruto contínuo em sua vida. É o fruto contínuo em sua vida.
Ah, meu querido amigo, veja em que situação nos metemos. Uma árvore não é conhecida por seus frutos? O que lhe parece: 60%, 70% dos americanos pensam que são convertidos, nascidos de novo. Nós matamos quantos milhares de bebês por dia? Somos odiados em todo o mundo por nossa imo-ralidade. No entanto, somos cristãos.
E sem rodeios eu deposito isso, a culpa, aos pés do pregador.
A Sexta Acusação: Um Apelo Evangelístico Sem Fundamento Bíblico.
A sexta acusação: um apelo evangelístico sem fundamento bíblico. Nós já tocamos neste ponto um pouco. Quero aprofundar. Olhe como temos feito ultimamente. Quero dizer… Escute-me agora… Tenho visto isto por todos os lados. Os Calvinistas, os Arminianos, muitos deles compartilham algo em comum. E é isto, o mesmo convite superficial. Falam muito sobre um monte de coisas e então eles chegam ao convite e é quase como se todos tivessem enlouquecido.
Caminham em direção a alguém dizendo “Deus te ama e tem um plano maravilhoso para tua vida”.
Já pensou em dizer isso a um norte-americano?
“Senhor, Deus te ama, e tem um plano maravilhoso para tua vida.”
“O que? Deus me ama? Bom, isso é maravilhoso porque eu também me amo! E Deus tem um plano maravilhoso? Eu também tenho um plano maravilhoso para minha vida! E se eu O aceitar em minha vida terei minha melhor vida agora? Isso é simplesmente maravilhoso.”
Isso não é evangelismo bíblico! Permita-me te dar algo no lugar disso. Deus vai a Moisés e diz isto.
“SENHOR, SENHOR Deus compassivo, clemente e longânimo e grande em misericórdia e fidelidade; que guarda a misericórdia em mil gerações, que perdoa a iniqüidade, a transgressão e o pecado, ainda que não inocenta o culpado” [Ex 34:6, 7]
A reação de Moisés:
“E, imediatamente, curvando-se Moisés para a terra, o adorou;” [Ex 34:8]
O evangelismo começa com a natureza de Deus. Quem Deus é? Pode um homem reconhecer seu pecado se ele não tem um padrão com o qual se comparar? Se nós dissermos somente coisas triviais sobre Deus que divirtam a mente carnal dele será que essa pessoa poderá ser levado a um arrependimento e fé genuínos?
Nós não começamos com: “Deus te ama e tem um plano maravilhoso para tua vida.” Começamos com o conselho completo de quem é Deus e nós lhes dizemos desde o principio que isto poderá custar as suas vidas.
Depois disso temos algumas perguntas exploratórias: “Ei, você sabe que é um pecador, não?”
Há alguns anos minha mãe morreu de câncer, É como se o doutor entrasse e dissesse:
– Ei, Barb! Você sabe que tem câncer, não é?
Nós tratamos o pecado tão superficialmente. Sem agravos, nada solene.
“Senhor, há uma terrível podridão em você e um juízo está vindo”.
Porque se só dissermos a um homem:
– Senhor, você sabe que é um pecador?
Vão e perguntem ao diabo se ele sabe que é um pecador, ele dirá:
“Bom, sim, eu sou e um muito bom nisso. Ou um muito mal dependendo de como você vê. Mas, sim, sei que sou pecador.”
A pergunta não é: você sabe que é pecador? A pergunta é: o Espírito Santo está operando através da pregação do evangelho de tal maneira em seu coração que uma mudança está sendo produzida, de maneira que o pecado que uma vez você amava agora você odeia, e o pecado que uma vez você desejava abraçar agora foge dele como se estivesses fugindo de um dragão?
E depois a pergunta: “Você quer ir para o céu?”
Esta é a razão pela qual eu não permitiria que meus filhos fossem a 98% das escolas dominicais e aos acampamentos bíblicos de verão em igrejas evangélicas porque alguma pessoa bem intencionada se levantará e dirá:
“Jesus não é maravilhoso?”, depois de ter mostrado o filme Jesus.
“Sim.”
Quantos de vocês, pequenas crianças, amam a Jesus?”
“Oh, Eu.”
“Quem quer aceitar a Jesus no seu coraçãozinho?”
“Oh, Eu.”
E depois eles são batizados. E eles caminham um pouco porque eles foram criadas em uma cultura cristã, ou algum tipo de cultura-igreja. E então quando eles completam 15, 16 anos, e quando eles têm a força da vontade eles começam a quebrar os laços. Eles começam a viver em perversidade e então nós vamos atrás deles dizendo: “Vocês são Cristãos. Vocês só não estão vivendo como tais. Pare de desviar”, ao invés de ir a eles biblicamente e dizer isto: “Você fez uma profissão de fé em Cristo. O professou até no batismo, mas agora parece que você se afastou dEle. Examine-se. Prove-se. Há pouca evidencia de uma conversão verdadeira em você.”
E então quando eles têm 24, 25 anos, depois da universidade, talvez aos 30, eles voltam à igreja e eles rededicam suas vidas e eles se unem ao grupo com essa moralidade pseudocrístão que caracteriza os igrejeiros na America. E ao final eles escutam isto: “nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade.” (Mateus 7:23)
Você diz: “Irmão Paul, estás tão nervoso.”
Não tenho o direito de estar? Alguém deve estar clamando por avivamento, mas nós nem temos nossas fundações eretas.
Oh, que avivamento viesse e endireitasse nossas fundações. Mas não deveríamos enquanto temos os olhos e os ouvidos abertos e temos a Palavra na nossa frente corrigir estas coisas?
“Você gostaria de ir para o céu?”
Meus queridos amigos, todos querem ir para o céu. Eles só não querem que Deus esteja lá quando chegarem. A pergunta não é se você quer ir ao céu. A pergunta é: “Você quer a Deus?” Você tem deixado de ser um inimigo de Deus? Cristo tem se tornado precioso para você? Você O deseja?
É disso que se trata a teoria política, meus queridos amigos, todo desejam ir ao céu. Mas os homens são inimigos de Deus. Então, a pergunta não é se você quer ir a um lugar especial aonde não sofrerá e obterá tudo o que queira; a pergunta é: Você O quer? Cristo se tornou precioso para você?
Freqüentemente depois de uma pessoa orar, perguntam: “Você gostaria de ir para o Céu?”
“Bom, sim.”
“Então, você gostaria de orar e pedir que Jesus entre no seu coração?”
Agora, meu querido amigo, deixe-me dizer-lhe isto: Há pessoas que foram salvadas utilizando essa metodologia, mas não é graças a ela, mas sim apesar dela.
“Senhor, você deseja a Cristo? Você vê seu pecado?”
“Oh, sim, sim eu vejo meu pecado”
“Senhor, vejamos alguns versículos da Bíblia que falam sobre com o que o arrependimento se parece. O Espírito testemunhando que isso está acontecendo em sua vida. Você vê quebrantamento? Vê a desintegração de tudo pelo que tem lutado em sua vida e agora sua mente está cheia de novos pensamentos sobre Deus e novos desejos e nova esperança?”
“Sim, eu vejo.”
“Senhor, Isso pode ser os primeiros frutos de arrependimento. Agora, entregue sua vida a Cristo. Confie nEle. Confie nEle.”
Agora, me escute. Você tem autoridade para falar do evangelho as pessoas. Você tem autoridade de lhes dizer como serem salvos. E você tem autoridade para apontar princípios bíblicos sobre a certeza da salvação, mas você não tem autoridade de lhes dizer que são salvos, esta é a obra do Espírito Santo de Deus.
Mas quando vocês os conduzem por aquela coisinha: “Você convidou Jesus para entrar em seu coração?”
“Sim”
“Você foi sincero?”
“Sim”
“Você acha que Ele te salvou?”
“Não sei”
“Claro que Ele salvo porque você foi sincero e ele prometeu que se O convidasse, Ele entraria. Logo, você está salvo.”
E eles saem da igreja, depois de cinco minutos de aconselhamento e o evangelista vai comer em um restaurante, e a pessoa está perdida. Está perdida.
Um apelo evangelístico sem fundamento bíblico.
Se alguma vez duvidaram, se alguma eles vez duvidaram de sua salvação… Aqui vamos de novo… Se alguma vez eles duvidaram de sua salvação: “Houve algum momento em que você orou e pediu para Jesus entrar em seu coração?”
“Sim”
“Você foi sincero?”
“Acho que sim”
“O diabo está lhe incomodando”
E se eles vivem sem crescimento, mesmo no contexto de uma igreja sem crescimento em carnalidade continua, sem problema, nós colocamos a culpa na falta de discipulado pessoal e resolvemos com a doutrina do Cristão carnal.
A doutrina do Cristão carnal tem destruído mais vidas e enviado mais gente ao inferno…
Os Cristãos lutam contra o pecado? Sim. Pode um Cristão cair em pecado? Absolutamente. Pode um Cristão viver num estado continuo de carnalidade todos os dias de sua vida não carregando frutos e verdadeiramente ser Cristão? Absolutamente não ou senão cada promessa no Velho Testamento referente à Nova Aliança falhou e tudo que Deus disse sobre disciplina em Hebreus é uma mentira.
Uma arvore é conhecida por seus frutos.
Quando trabalhamos com homens sobre a conversão… Tenho visto pregadores que entendem muito sobre as coisas de Deus, mas quando eles descem, mesmo depois de uma apresentação exemplar do evangelho, eles entram, novamente, nesta metodologia.
Deixe-me lhe dar uma história, e depois iremos à próxima acusação, mas uma história que é um dos momentos mais preciosos na minha vida como Cristão.
Eu estava pregando no Canadá só… Na verdade eles me disseram que estava a 30 km do Alaska. Havia mais ursos pardos na cidade do que pessoas. Sério. Era uma igreja pequena de como 15, 20 pessoas e eu estava pregando. E bem quando fiquei em pé no púlpito, esta montanha de homem entrou, nos seus 60 ou 70 anos, mas uma montanha de homem. Ele podia ter batido em cada um de nós neste prédio.
Enquanto eu pregava, via sua face, deixei tudo de lado e comecei a pregar o evangelho. Era o ser humano mais triste que eu já vi. Somente o evangelho, o evangelho. E quando terminei, caminhei direto do púlpito a ele.
Eu disse: “Senhor, o que há de errado. O que perturba sua alma? Eu nunca vi um homem tão triste e abatido em toda minha vida”.
E ele tirou um envelope e tinha alguns raios-x os quais não pude entender, mas ele disse isso: “Acabo de vir do médico. Vou morrer em três semanas.” Foi isso que ele me disse. “Agora eu tenho morado toda minha vida em um rancho de gado. Só se chega lá por avião flutuante ou cavalgando pelas montanhas e todas essas coisas.” Ele disse: “Nunca estive em uma igreja. Nunca li a Bíblia. Acredito que há um Deus e uma vez escutei sobre um cara chamado Jesus.” Ele disse: “Eu nunca tive medo de nada em minha vida e agora estou aterrorizado.”
Eu disse: “Senhor, você entendeu a mensagem, o evangelho?”
Ele disse: “Sim.”
Agora, o que fariam a grande maioria dos pregadores naquele momento?
“Então, você gostaria de convidar Jesus para entrar em seu coração?”
Isto é o que eles fariam.
Eu disse: “Senhor, você entendeu?”
Ele disse: “Eu entendi, mas é só isso? é que só…” Ele disse:
“Uma criança poderia ter entendido aquilo. Qualquer um. É só isso que eu entendi e eu oro ou…?”
Eu disse: “Senhor, você vai morrer em três semanas. Eu tinha que ir embora amanhã. Vou cancelar meu vôo e ficaremos aqui lendo a Palavra lutando e clamando a Deus até que você se converta ou morra e vá ao inferno”.
E, então, começamos. Comecei com o Velho Testamento, o Novo Testamento, cada versículo sobre as promessas de Deus com respeito à redenção e salvação, uma e outra vez, varias vezes, lendo João 3:16, orando por um tempo, clamando a Deus, questionando sobre o arrependimento do homem, sobre a fé, sobre a certeza da salvação, trabalhando até que Cristo tenha sido formado nele.
E então, finalmente, simplesmente exaustos aquela noite, não houve nenhum avance, não houve nada, eu disse: “Senhor, vamos a orar.” E oramos.
Eu disse: “Senhor, leia João 3:16 outra vez.”
Ele disse: “Lemos isso um milhão de vezes.”
Eu disse: “eu sei, mas é uma das maiores promessas de salvação. Leia o texto de novo.”
E eu nunca esquecerei. Tinha minha Bíblia no seu colo, naquelas suas mãos grandes e montanhosas.
Ele disse: “OK. Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu… Sou salvo! Sou salvo! Irmão Paul, todos meus pecados se foram. Tenho vida eterna… Sou salvo. Ou seja…”
Eu disse: “Como você sabe?”
Ele disse: “Você nunca leu este versículo antes?”
O que estava acontecendo? Uma obra do Espírito de Deus ao invés daqueles truquezinhos que você tenta.
Você quer ir a comer? Você pensa que pregar é um espetáculo e depois disto você volta pro hotel? Não, apos a pregação é que o trabalho começa! Lidando com almas. As pessoas vão à frente em reuniões para aconselhamento com pessoas que não deveriam estar aconselhando. Cinco minutos, eles estão dando o… Rápido, dê o cartão ao pastor e o pastor diz: “Gostaria de lhes apresentar o novo filho de Deus. Bem vindo à família de Deus.”
Como você se atreve?
Se você vai apresentá-lo, diga isto: “Este homem esta noite fez uma profissão de fé em Jesus Cristo. E por causa de nosso temor de Deus e nosso amor pelas almas dos homens nós agora iremos trabalhar para ter certeza que Cristo tem realmente sido formado nele, que ele verdadeiramente tem um entendimento bíblico sobre arrependimento e fé e grande certeza e gozo no Espírito Santo. Isto é o que nós vamos fazer”.
Olhe o que nós fizemos. Suplico-te. Olhe o que estamos fazendo. E isto não é algum tipo de Seita. Isto somos nós. Pare. Pare.
Sétima Acusação: Uma Ignorância com relação à natureza da Igreja..
Sétima Acusação: Ignorância com relação à natureza da Igreja. Deus tem apenas uma instituição religiosa. É a Igreja. E o nosso objetivo e resultado final do avivamento será o plantio de Igrejas bíblicas. Eu tenho um grande medo de que a Igreja local hoje seja desprezada. Diga a alguém que você é um pregador itinerante, que você tem um ministério mundial e todos se curvarão. Diga a alguém que você é um pastor de grupo de 30 e farão com que você se sente no fundo durante a conferência.
Ele não é o príncipe dos pregadores itinerantes, ele é o príncipe dos pastores.
Muitos anos atrás, Bill Clinton tinha um slogan durante a eleição. “É a economia, estúpido”. Meu pastor, Jeff Noblett, um dos presbíteros em nossa Igreja, o principal pastor e pregador, me disse um dia: “Você sabe, eu gostaria de ter um monte de camisetas feitas”.
“O que elas diriam, irmão Jeff?”
“É a Igreja, estúpido”.
Jesus deu Sua vida pela Igreja, uma linda virgem, a igreja primitiva. Se você quer dar sua vida por algo no ministério, dê à Igreja, a uma Igreja, a um corpo de crentes, a uma congregação local. Isto é a Igreja.
Agora deixe me dizer algo sobre a Igreja. Quero que vocês ouçam bem. Não existe um remanescente de crentes na Igreja. Todos nós sabemos sobre a Teologia Remanescente, você sabe que através de todo o curso de Israel, havia Israel, o povo de Deus e um remanescente de verdadeiros crentes. Este não é o caso da Igreja. Não há um remanescente de crentes ou um pequeno grupo de crentes dentro de um grande grupo chamado Igreja. A igreja é o remanescente.
E eu quero dizer isso: Se pastores chegaram próximos de blasfemar, é com relação a isso. Eu ouço teólogos, professores itinerantes, pastores, uns e outros dizendo esse tipo de coisa: “Há tanto pecado dentro da Igreja quanto fora dela. Há tanto divórcio na Igreja quanto fora dela. Há tanta imoralidade e pornografia na Igreja quanto fora dela.” E então pregadores dizem: “Sim, a Igreja está agindo como uma prostituta”.
Eu quero que você saiba disso: Você deve ter muito cuidado ao chamar a noiva de Jesus Cristo de prostituta.
Eu vou lhe dizer qual é o problema. Pastores e pregadores não sabem o que é a Igreja. Eu quero que você saiba que a Igreja de Jesus Cristo na América hoje é linda. Ela é frágil, às vezes . Ela é fraca. Ela é esbofeteada. Ela não é perfeita, mas eu quero que você saiba que ela é quebrantada. Ela está andando humildemente com seu Deus. O seu problema é que você não sabe o que é a Igreja.
Hoje por causa da falta pregação bíblica a tão chamada Igreja está cheia de pessoas carnais e ímpias que se identificam com o Cristianismo. E então por causa dos bodes no meio das ovelhas, as ovelhas estão sendo acusadas de todas as coisas que os bodes estão fazendo e o nome de Deus está sendo blasfemado entre os Gentios por causa de nós (Romanos 2:24).
Vocês já leram… Vamos apenas… Eu sei que já estamos passando do horário, mas apenas vá rapidamente comigo, rapidamente. Eu quero te mostrar algo. Vá até Jeremias 31, obrigado. Verso 31 de Jeremias 31.
“Eis que dias vêm, diz o SENHOR, em que farei uma aliança nova com a casa de Israel e com a casa de Judá.”
Agora eu não quero tirar nada do povo chamado Israel, mas este texto é também aplicado a Igreja. Entenda isto. Eu não quero entrar em batalhas na escatologia, mas na Bíblia, no Novo Testamento, o livro de Hebreus é aplicado ao povo de Deus.
“Não conforme a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito.”
Eu ouço pregadores dizendo todo o tempo: “Bem, quando você olha para trás e vê Israel, você vê um monte de ímpios e idólatras. E no meio deles havia um pequeno remanescente de verdadeiros crentes.” Isso é verdade, mas não aplique isso à Igreja do Novo Testamento por que Ele diz: “Eu irei fazer algo diferente, não como a aliança que Eu fiz com os pais deles no dia em que Eu os tirei com minha mão para trazê-los da terra do Egito, Minha aliança que eles quebraram, embora Eu tenha sido um marido para eles, declara o Senhor. Mas esta é a aliança que farei com a casa de Israel depois destes dias”, declara o Senhor, “Eu colocarei Minha Lei dentro deles.”
Ele não apenas lhe deu, se você é convertido, Ele não apenas lhe deu a Lei numa tábua de pedra. Ele tem sobrenaturalmente, através da doutrina da regeneração, escrito estas Leis no seu coração. E porque Ele fez isso, “Eu serei seu Deus, e eles serão Meu povo”.
E veja o que diz: “Não ensinarás cada um a seu próximo, nem cada um seu irmão, dizendo: ‘Conhece ao Senhor’. Porque todos me conhecerão, desde o menor até ao maior deles, diz o Senhor. Pois perdoarei as suas iniqüidades e dos seus pecados jamais me lembrarei”. [Jr 31:34]
Novamente, a doutrina da regeneração, Deus está fazendo algo novo nestes últimos 2000 anos. Nós não temos muitas igrejas na América. Temos um monte de prédios de tijolos realmente bonitos com gramados finamente podados.
Só porque alguns dizem que são da igreja ou que são cristãos, isso não quer dizer que realmente sejam. Veja o que diz. Eles não terão que ensinar um ao outro.
I
sso não quer dizer que não haverá pastores e mestres, mas haverá um proeminente conhecimento de Deus entre eles, particularmente com relação aos seus pecados terem sido perdoados.
Veja rapidamente o capítulo 32 verso 38. “Eles serão Meu povo e eu serei seu Deus.” Ele não diz: “Eu espero que sim, talvez, se eu der sorte, ah, se eu conseguir evangelistas suficientes para trabalhar para mim, talvez isso tudo dê certo.”
Ele diz: “Eu vou trazer um povo a mim, um povo pelo qual entregarei meu Filho.” E ele diz: “Eles serão Meu povo e eu serei seu Deus”.
Veja isso: “Eu lhes darei um coração e só caminho.”
Agora, não fique bravo comigo, mais do que você já está pelo menos. Mas me ouça. Nos anos 70 e 80 e todas as marchas para Jesus, todos lamentando e chorando: “A igreja está tão dividida. A igreja não é uma.”
Meu querido amigo. Deixe-me lhe dizer algo. Se a igreja não é uma, então há uma oração que Deus o Pai não respondeu para seu Filho. E essa promessa da Nova Aliança falhou.
Então eu quero redirecionar você um pouco. Eu quero lhe submeter que a Igreja é uma. Ela sempre foi uma.
Você já se sentou num avião ou talvez encontrou alguém que você não conhecia num supermercado e você sendo Batista ou Menonita, ou qualquer coisa, mas verdadeiramente evangélico, verdadeiramente cristão, você fala com ele não mais que poucos minutos e você descobre: “Ele é um crente. E um que está vivo.”
E naquele momento você daria sua vida por ele. Você daria sua vida por ele.
Eu me lembro uma vez nós estávamos no Departamento Amazonas no Peru e foi no tempo do Sandero Luminoso e estava acontecendo uma guerra civil lá. Nós viajamos 22 horas num caminhão que carregava grãos sob uma lona preta e mais ou menos meia-noite nós tiramos a lona, o caminhão parou e nós pulamos na selva. Nós passamos a noite bem na margem da selva e fizemos caminho para certo lugar. Na metade do caminho nós nos perdemos na escuridão no dia seguinte, então nós estávamos orando, eu meu querido amigo Paco, estávamos orando: “Ó, Deus, nos dê alguma direção. Estamos perdidos. Se formos encontrados aqui os terroristas dominam este lugar. Nem os militares entrariam aqui.” Nós clamamos: “Ó, Deus, nos dê uma direção. Ajude-nos.”
Nós ouvimos um sino. E então ouvimos alguém falando. No começo achamos que era uma conversa estranha. Então percebemos que era um garotinho vindo do campo com seu burro e ele estava falando com seu burro. Então ficamos atrás dele e o seguimos. Então ficamos na extremidade da cidade, num pequeno vilarejo, cabanas, casas de tijolos e eu disse: “Paco, você sabe que se os terroristas forem os donos disso, nós estamos mortos.”
“Sim, mas nós chegamos a algum lugar”.
Então nós descemos, fomos até um homem que estava bêbado no escuro e dissemos: ”Há irmãos aqui?” Porque todo mundo sabe o que isso significa nas montanhas. Significa um cristão verdadeiro.
Então ele disse: “Aquela senhora bem ali.”
Então eu fui até lá. Era uma velha mulher Nazarena e eu bati na porta. Eu disse: “Sou um pastor evangélico. Por favor, me ajude.”
Aquela senhora saiu com uma lanterna. Ela me agarrou. Puxou-me para dentro. Ela agarrou Paco e nos levou para baixo. Sua casa ficava em um tipo de precipício no meio da lama, e nos levou para o porão onde havia algum feno e galinhas e outras coisas, e ela nos fez sentar lá e ela acendeu uma lâmpada e então um garotinho veio, ela o chamou e disse: “Vá chamar os outros irmãos”. Ele começaram a trazer galinhas, e yucca e tudo mais, arriscando suas vidas. Por quê? Porque somos um.
Pare de dizer todas estas tolices que você está dizendo, que o corpo de Cristo está dividido e que é uma bagunça e está cheio de pecado. Eu não falaria da noiva de Cristo dessa maneira se eu fosse você.
O que você tem é um monte de bodes e joio no meio das ovelhas. E porque muito pouca disciplina bíblica e compassiva é praticada na Igreja, eles vivem entre as ovelhas, eles se alimentam dessas ovelhas e as destroem, e aqueles dentre vocês que são líderes na Igreja vão pagar um alto preço quando você estiver diante Daquele que as ama, porque você não teve coragem suficiente para se levantar e confrontar o ímpio.
A propósito, me escute. O cenário médio na América do Norte no que diz respeito às igrejas em geral, as igrejas são democracias. E eu não quero entrar nos prós e contras disso. Mas eis o que acontece: Por a pregação do evangelho ser tão baixa, a igreja é, basicamente a maioria, carnal, cheia de pessoas perdidas. E por ser uma democracia, eles em geral, são os que governam a direção da igreja. E por o pastor não querer perder o grande número de pessoas e por ele ter idéias erradas quanto evangelismo e verdadeira conversão, ele atende aos ímpios em sua igreja e seu pequeno grupo de verdadeiras ovelhas que pertencem a Jesus Cristo está sentado no meio de todo o teatro, no meio de todo o mundanismo, no meio todo o entretenimento que está acontecendo, “Nós queremos apenas adorar Jesus e queremos apenas que alguém nos ensine a Bíblia”. E pastores vão pagar por isso.
Isto é verdade. Isto é verdade.
Você está dizendo: “Ah, você está apenas nervoso.”
Meus queridos amigos, você sabem o quanto me custa dizer isso? Isto é verdade. Tentando manter juntos um bando de ímpios enquanto um pequeno rebanho no meio deles está morrendo de fome e fazendo com que eles vão na direção que eles não querem ir com a maioria dos carnais.
Escute-me. Se a minha esposa estivesse no Walmart tarde da noite e você estivesse passando por lá, e você tivesse visto dois homens que estavam abusando dela, três, quatro, cinco, os homens estivessem abusando dela e machucando-a e você abaixasse a cabeça em nome da auto-preservação e você passasse de lado, eu quero te dizer algo, meu amigo. Eu não vou apenas atrás daqueles 10 homens, eu vou atrás de você também.
É a noiva de Cristo e ela é preciosa para Ele. Vai custar-lhe servir Jesus. Poderá custar-lhe sua igreja, sua reputação e sua denominação, absolutamente tudo. Mas a noiva de Jesus Cristo é digna disso.
Veja o que diz. Eu amo isso. Veja, 39: “E lhes darei um mesmo coração, e um só caminho.” (Jeremias 32:39). E o que é esse caminho? É Cristo e é santidade.
Todo verdadeiro crente que eu já encontrei falou muito de Cristo e tinha um desejo de ser mais santos do que já eram, mais conformados a Cristo. E veja: “E lhes darei um mesmo coração, e um só caminho, para que me temam todos os dias, para seu bem, e o bem de seus filhos, depois deles.” (Jr 32:39)
Ah, que grande texto é esse. Mas vamos apenas continuar rapidamente: “E farei com eles uma aliança eterna de não me desviar de fazer-lhes o bem.“ (Jr 32:40)
Agora, nós apenas lemos isso e muitas pessoas que são ímpias, que estão perdidas, apenas vão à igreja no domingo. Eles ouvem este verso e dizem: “Sim, Deus fez uma aliança eterna comigo. Ele nunca se apartará de mim, nunca, nunca. Eu estou seguro por causa da graça de Deus”. Mas eles falham em ler a segunda parte.
E veja o que diz: ”E farei com eles uma aliança eterna de não me desviar de fazer-lhes o bem; e porei o meu temor nos seus corações, para que nunca se apartem de mim.” (Jr 32:40)
A evidência de que Deus fez uma aliança eterna com você, senhor, é que Ele colocou o temor de Deus em você para que você não se aparte Dele e se você se apartar Dele e Ele não te disciplinar e você continuar se apartando Dele, essa é a evidência que Ele não colocou Seu temor em você, você não foi regenerado e você não tem uma aliança com Deus de forma alguma.
Ah, isto é verdade.
Oitava Acusação: Uma falta de amorosa e compassiva disciplina eclesiástica.
A oitava acusação – e vamos nos apressar nisso – e eu sei que isso é mal entendido hoje, então vou defini-la: uma falta de amorosa e compassiva disciplina eclesiástica.
A maioria dos pastores evangélicos atualmente na América devem pegar Mateus 18 e arrancá-lo das suas Bíblias.
Você não pode fazer isso, senhor. Você tem que ficar com tudo.
Muitos pastores, sua teologia fica para trás quando eles saem do seu escritório, do seu local de estudo. Eles são teológicos nas conversas, são teológicos nos seus escritórios, mas quando saem, eles administram a igreja por métodos carnais.
Eu não sou um ancião na minha igreja então e não estou lá há muito tempo, então posso dizer isso sem me gabar. Ela pratica disciplina eclesiástica. É uma igreja bem grande, cerca de 1000 pessoas. E eles estimaram ter salvo 30 casamentos nos últimos anos através de amorosa e compassiva disciplina eclesiástica, que não começa com excomunhão. Começa com, “Vós que sois espirituais…” (Gálatas 6:1)
Nós dizemos, “Oh, eu sou tão amoroso. Nós não podemos praticar disciplina. Somos muito amorosos.”
Você é mais amoroso que Jesus? Ele é quem ordenou isso.
“Sim, mas vai causar tantos problemas.”
Sim, você está certo. Talvez seja por isso que não há muitos problemas entre a igreja e a cultura hoje: porque não estamos confrontando a cultura.
E não confrontamos a cultura simplesmente saindo e fazendo protestos em Hollywood. Nós confrontamos a cultura obedecendo a Deus. Noé construiu a arca e condenou o mundo. Você não precisa ter uma faixa de protesto, só ande em obediência e o mundo irá te odiar.
Meu querido amigo, “Ora, se teu irmão pecar contra ti, vai, e repreende-o entre ti e ele só; se te ouvir, ganhaste a teu irmão;” (Mateus 18:15). Oh, que coisa maravilhosa! “Mas, se não te ouvir, leva ainda contigo um ou dois, para que pela boca de duas ou três testemunhas toda a palavra seja confirmada.” (v. 16).
Não que esses caras estejam no teu lado. Eles vão ouvir e julgar. Talvez você seja o errado. Talvez teu irmão não esteja em pecado. Talvez você seja crítico demais e legalista. Quem sabe?
E ouçam: “E, se não as escutar, dize-o à igreja; e, se também não escutar a igreja, considera-o como um gentio e publicano.” (v. 17)
Meu querido amigo, eu creio que precisamos ouvir isso. Podemos começar obedecendo a Deus e nos disciplinando ou podemos deixar que Deus o faça por nós. E talvez, a hora vem e é chegada em que isso vai acontecer.
Não estou falando de homens, críticos, legalistas e odiosos. Já existem muitos. Estou falando de um homem, um grupo de anciãos, líderes que amam o bastante para arriscarem suas vidas porque sabem que isso não é um jogo. Isso não é algo que fazemos apenas para esta vida, a eternidade está em jogo, a salvação de almas. Olhe para todas estas livrarias cristãs. Olha para os livros antigos dos dias antigos, dos Wesleys e e Whitefields e, repetidamente, dos Puritanos e dos Reformadores. A maioria destes livros lidou com o que é o Evangelho, como você o prega, como você leva alguém a Cristo, como você discerne uma verdadeira conversão, você se torna um doutor de almas.
Nós nos unimos a Roma nessa questão. Roma: “O bebê é batizado, o bebê é Cristão. O bebê é de Roma. Nunca mais lide com conversão. Apenas crie todo tipo de métodos mundanos para mantê-los na Igreja.”
Evangélicos têm feito o mesmo. Ore uma pequena oração com eles depois de dois ou três minutos de aconselhamento, depois de meia hora de pregação, sendo que 25 minutos foram histórias bem divertidas, e então lance a rede depois de cinco minutos. Aconselhe-os um pouco e então os declare salvos e passe o resto dos dias discipulando-os e imaginando porque eles não crescem.
Quero lhe dizer: eu creio em discipulado pessoal um a um. Mas, meu querido amigo, a Igreja se deu bem por mil anos ou mais sem ele, sem aquilo que conhecemos como discipulado pessoal, com todos os livros e coisas diferentes.
Quero que você pense nisso: O discipulado pessoal de um a um se tornou gigante do final dos anos 70 até hoje. Qual era o clamor? “Estão saindo tantas pessoas pela porta dos fundos quanto entrando pela porta da frente e a razão disso é que não estamos discipulando as pessoas.”
Não. Isto está acontecendo porque as pessoas não estão sendo convertidas. Porque Suas ovelhas, elas ouvem Sua voz e o seguem, esteja você as discipulando ou não.
Agora, nós devemos discipular, mas não é por isso que elas estão indo embora. “Saíram de nós, mas não eram de nós” (1 João 2:19) E eles tiveram pouca chance de ser de nós porque nunca ouviram um evangelho verdadeiro e ninguém jamais lidou com suas almas.
Então, nós gastamos uma fortuna discipulando cabras esperando que se tornem ovelhas. Você não pode ensinar uma cabra a ser uma ovelha. Uma cabra se torna uma ovelha pela obra sobrenatural do Espírito do Deus Todo Poderoso.
Agora, disciplina eclesiástica: Eu mudei minha família para esta igreja porque ela pratica disciplina eclesiástica, porque eu preciso estar debaixo de disciplina eclesiástica, o cuidado observador de anciãos e outros membros que levam isso a sério. Eu quero que minhas crianças, se forem convertidas algum dia – elas são bem pequenas agora, mas se forem convertidas – ou fizerem uma profissão de fé e depois se desviarem, vou querer saber que minhas crianças serão trazidas diante da Igreja, se necessário, para salvação das suas almas.
Alguns de vocês ficariam tão indignados se um pastor lhes dissesse: “Honestamente, tenho estado orando pelas suas crianças e temo que não são convertidas.”
Você ficaria tão indignado que reuniria um grupo para expulsar aquele pastor, em vez de perceber “Oh, louvado seja Deus! Temos um homem de Deus aqui.”
Nona acusação: Um silêncio acerca da santificação.
Há uma falta de ensino sério sobre santidade. Meu caro amigo, com ensino genérico sobre santidade todo mundo concorda. Vamos ser santos. Nós precisamos ser mais santos. Vamos ter uma conferência sobre santidade.
Mas quando você é específico sobre o que isso significa, é ai que tudo fica tumultuado.
“Busque paz com todos os homens,” o escritor de Hebreus nos diz, “e santificação sem a qual ninguém verá o Senhor”.
Alguém acredita nisso?
Você diz, “Irmão Paul, eu tenho sido culpado tão freqüentemente por ensinar, você sabe, religião de obras.”
Escutem-me. Escutem. Novamente, isso remete à regeneração e a providência de Deus. Se Deus verdadeiramente converte um homem, ele vai continuar trabalhando nesse homem, através do ensino, benção, advertência e disciplina. Ele vai certificar-se de que o trabalho que ele começou será completo. E é por isso que o escritor diz, “Sem santificação, sem santidade ninguém verá o Senhor”.
Por quê? Porque se não existe crescimento em santidade, Deus não está trabalhando em sua vida. Se Ele não está trabalhando em sua vida é porque você não é um filho.
Veja as diferenças entre Jacó e Esaú. “Amei a Jacó… Odiei a Esaú”. Porém, Deus cumpriu suas promessas em ambos. Jacó foi abençoado. Esaú foi abençoado. Como Deus demonstrou seus julgamentos e ira contra Esaú e seu amor com Jacó? Eu vou lhe contar como. Ele deixou Jacó à vontade. Ele deixou Esaú à vontade, sem exercer disciplina, sem piedade, nada. Mas ele espancava Jacó até à morte quase todos os dias de sua vida.
A disciplina amorosa, a correção de Deus para nos trazer à santidade.
Agora, há tanto ensino sobre isso, mas deixe-me dizer isso: “Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo…” Romanos 12:1 e continua no segundo.
Seus corpos. Por que ele diz “corpo”? Eu acredito que para evitar toda essa super espiritualidade.
“Bem, eu dei a Jesus o meu coração e você não pode julgar um livro pela sua capa.”
Bem, a verdade é que, você pode julgar um livro pela sua capa. Jesus nunca disse que você não poderia julgar um livro pela capa. Ele disse que você poderia. “Você os conhecerá pelos seus frutos.”
E se você pensa que deu-lhe seu coração, então ele vai ter seu corpo. E vou lhe contar o motivo. O coração, meu amigo, não é um músculo de bombeamento de sangue ou o fruto da imaginação de um poeta. Ele refere-se à sua verdadeira essência ou centro do seu ser. Não me diga que Jesus tem a sua real essência e o centro do seu ser e isso não afeta seu corpo. Isso não vai acontecer.
E então o que nós fazemos? Nós vamos à Escritura, o que, legalisticamente? Não, extraindo inferências? Não. Apenas baseando-se nos mandamentos da Escritura.
Sobre o quê?
Eu não concordo com tudo que os Puritanos disseram, mas eu amo os Puritanos e uma das razões porquê eu os amo é que acredito que eles honestamente tentaram colocar tudo nas suas vidas abaixo do senhorio de Jesus Cristo.
Suas mentes, por eles terem escrito 800 páginas de livros sobre o que eu devo pensar, de acordo com as Escrituras. O que não deve entrar na minha mente de acordo com as Escrituras? O que eu devo fazer com meus olhos? O que deve entrar nesses ouvidos e o que não deve entrar nesses ouvidos? Como a língua deve ser dirigida? Qual deve ser a direção da minha vida?
E sim, eu vou te assustar até à morte. Como eu devo proceder?
Agora eu tenho que ser cuidadoso aqui. Eu não quero criar inferências e outras coisas. Meu querido amigo, minha esposa diz assim: “Se as suas roupas são uma moldura para o seu rosto, pelo qual a glória de Cristo é manifestada, então é de Deus. Mas se suas roupas são uma moldura para o seu corpo, é sensual e Deus odeia.” Disse o bastante?
Agora, eu posso falar tudo sobre santidade –e santidade não é apenas uma expressão exterior- mas nós nos tornamos um povo que usa a obra interior do Espírito Santo como uma desculpa para dizer que nada vai acontecer no lado de fora. E isso não é verdade.
Alguns jovens dentre vocês clamam provavelmente mais do que eu para que o Espírito de Deus preencha-os e trabalhe em vocês, mas é necessário apenas meia hora de televisão para entristecê-lo de tal forma que ele estará a quilômetros de vocês.
99% pura, 1% esgoto, Eu não bebo.
Uma vez eu estava tendo lutas e Leonard Ravenhill estava conversando com um querido amigo meu que estava dizendo, “Irmão Leonard, um rapaz , o irmão Paul, ele está realmente tendo lutas.” E ele mandou um folheto. Eu ainda tenho aquele folheto. Eu nunca, NUNCA, vou me desfazer daquilo. Ele dizia, “Outros podem, você não.”
Eu não necessariamente concordo com tudo.
Escute-me rapaz. Eu não vou a shoppings. Eu não vou, não porque sou mais santo do que você. É porque eu sei quem eu sou.
Existe a história de um dos mais refinados, melhores violinistas na Europa tocando em um último concerto, um homem velho. E quando ele finalizou um rapaz andou até o violinista e disse, “Senhor, eu daria minha vida para tocar como você.”
E o velho homem disse, “Filho, eu dei minha vida para tocar como eu.”
“Eu quero o poder de Deus em minha vida” Então algo tem que ser abandonado/perdido.
“Eu quero conhecê-lo.” Então uma separação deve acontecer.
Deixe-me dizer-lhe uma coisa jovem, todo mundo está andando por ai, todos seus pequenos retiros e todas suas conferências e encontros com abraços grupais e cantando Kumbayah e tudo mais. Talvez você tenha que ficar sozinho no deserto com Deus e jejuar por sete dias de joelhos estudando o livro de Salmos, apenas ficando a sós com Deus, pertencendo a Ele.
Para ser um homem de Deus deve existir um senso onde algumas vezes até sua esposa que é da sua própria carne, uma com ela, ela olha em seus olhos e sabe que não pode ir onde você está indo.
Existe silêncio acerca da santificação. Eu penso, “Não se una a descrentes; porque qual parceria há entre retidão e iniqüidade?” Nenhuma. “Ou qual companheirismo tem a luz com as trevas?” Nenhum. Trevas é o oposto da revelação de Deus.
Ou que harmonia Cristo tem com Belial? Nenhuma. Ou o que tem o crente em comum com o descrente? Nada.
Ele diz, “Saia do meio deles.” Saia do meio do que? Saia do meio da iniqüidade, trevas, tramas satânicas e da vida e mundanismo do descrente. Saia disso.
Décima Acusação – Uma substituição do que as Escrituras dizem a respeito à família pelo que a Psicologia e a Sociologia dizem.
Eu tenho uma décima acusação e esta é muito importante para mim, sendo um homem mais velho com uma família jovem. Eu não havia me casado até os 30 anos de idade. Minha esposa teve algo como um pequeno tumor cerebral pelos primeiros oito anos. Nós não podíamos ter filhos e, louvado seja Deus, uma criança nasceu, e depois outra, e depois outra, e depois, quem sabe?
A Psicologia e a Sociologia têm substituído as Escrituras no que diz respeito à família. Meus queridos amigos, pastores e líderes, pensem nisto. Nossas igrejas ou nossos cultos dominicais – melhor dito – são tão cosméticos. Apenas porque parece haver uma adoração bonita e um sermão que foi legal e as pessoas parecem “movidas”, isto não é evidência. Eu vou lhes dizer o que é evidência: A casa, os ca-samentos, as famílias.
Juízes 17:6 “Naqueles dias, não havia rei em Israel; cada qual fazia o que achava direito aos seus olhos.”
Se eu converso com as pessoas – porque eu converso com várias – e encontro um homem de Deus que criou filhos reverentes a Deus, eu vou e me apego a ele. Mas, na maioria dos casos, sabe o que eu descubro? As pessoas com quem eu converso na igreja são todos ligados a fábulas profanas e socio-logia, e isto, e aquilo, e qualquer outra coisa, cada qual o que acha mais reto e não conseguem me dar sequer um versículo bíblico. Mas sempre que tenho a oportunidade de encontrar um homem e uma mulher que adequaram a si mesmos e à sua família de acordo com as Escrituras, a diferença é esma-gadora.
Quando estou em um avião, adoro fazer isto. Homens sentam ao meu lado e depois começam: “O que você faz?”
E eu: “Ah, sou casado.”
E eles: “Ah, o que mais você faz?”
“Ah, eu sou pai.”
“E o que mais você faz?”
“Bem, se eu tiver algum tempo livre, eu prego um pouco.”
O que importa se um homem ganhar o mundo inteiro e perder sua família? E deixe-me colocar dessa forma: Baseado no que você cria seus filhos e ama sua esposa? Baseado em quê? Se você não consegue ir às Escrituras, agora mesmo, pegar os versículos e me mostrar como sua família está fundada nela, eu posso lhe assegurar, você é cativo da psicologia, da sociologia, dos caprichos e das mentiras deste século.
Veja bem, você não tem o direito de fazer isso. Você não tem autoridade, senhor, separado da Palavra de Deus.
Veja Gênesis 18:19. “Porque eu o escolhi para que ordene a seus filhos e a sua casa depois dele, a fim de que guardem o caminho do SENHOR e pratiquem a justiça e o juízo; para que o SENHOR faça vir sobre Abraão o que tem falado a seu respeito.”
Não é lindo?
E preste atenção, Romanos capítulo 12, versículos um e dois. Bem, o versículo dois nos conta que a vontade de Deus é perfeita. Então, sempre que lhe sobrevier a idéia como um homem de Deus que “estou sacrificando minha família para o bem do ministério”, vou lhe dizer que você um mentiroso de cara lavada. Você está sacrificando sua família pelo bem do pequeno reino que você está tentando construir, porque a vontade de Deus é perfeita. Isso significa que eu não tenho que violar a vontade de Deus no que diz respeito à minha família, a fim de cumprir a vontade de Deus no que diz respeito ao ministério.
Deus não precisa de você. Ele deseja sim que você seja obediente. Que você seja obediente.
Só quero lhe dar dois exemplos. É quando alguém me perguntou uma vez: “Irmão Paul, você é contra o evangelismo?”
Eu disse: “Sim e não. Eu não sou contra o evangelismo bíblico, mas sou contra a forma com que você está evangelizando.”
“Você é contra Escola Bíblica Dominical e grupos jovens?”
“Sim e não.”
Quero lhe explicar uma coisa. Agora, por alguns de vocês eu não vou ser suficiente e para alguns de vocês eu vou ser demasiado. Eu só quero usar duas estas coisas para apontar o que está errado co-nosco:
Escola Bíblia Dominical. Não importa de qual denominação você faz parte, se você faz parte de alguma denominação que é de alguma forma organizada, posso lhe assegurar que sua denominação gasta milhões de dólares com material para Escola Bíblica, milhões de dólares em conferências, em ensinar professores a ensinarem na Escola Bíblica, em fazer tudo o que está na regra para promover a Escola Bíblica. Isso é um fato.
Deixe-me perguntar-lhe: Quanto dinheiro sua denominação gasta e quantas conferências e horas de trabalho são disponibilizadas para ensinar pais a ensinarem seus filhos? Então agora você percebeu, não é mesmo? Deus não tem um plano B. Ele tem um plano A. Vocês malograram o plano A. O plano B não funciona.
Não estou dizendo que as crianças não podem se unir em grupos, serem examinadas ou ensinadas ou qualquer coisa, mas se isso começar a sugerir a substituição do ministério do pai no lar exploda em pedaços.
Entende o que estou dizendo? Olhe apenas para este pequeno exemplo: “Tudo pela Escola Bíbli-ca, tudo pela Escola Bíblica.” Mas há dificilmente uma conferência em todo o país para ensinar homens a educarem seus filhos. E, na maioria das vezes, a Escola Bíblica não é nada mais que entretenimento, pois o professor de Escola Bíblica não tem a autoridade para disciplinar seus filhos. E ainda que tivessem, não fariam, pois não acreditam nisso.
Esse é apenas um pequeno exemplo. Vamos olhar para os grupos jovens.
“Bem, a juventude precisa estar junta. Você sabe, eles precisam estar juntos.”
Tudo bem, vamos ver. Provérbios 13:20. “Quem anda com os sábios será sábio, mas o companhei-ro dos insensatos sofrerá aflição.”
Quem alguma vez lhes disse que a juventude deve estar junta? Quem já lhes disse isso? Eu vou di-zer-lhes quem disse isso: Psicólogos da década de 60. Separação entre as gerações. A juventude deve permanecer com os adultos para que parem de agir como tolos rebeldes e unam-se à maturidade, deixando de lado a tolice a qual leva à destruição.
Com isso, não digo que vocês não podem unir a juventude, mas, caso o façam, sugiro que te-nham os pais junto a eles.
E você diz: “Bem, e quanto à juventude perdida que chega à nossa igreja?”
Bem, o que eles estão vendo agora? A juventude perdida chega à sua juventude cristã na igreja e vê quase o mesmo que vê em sua própria casa: Sem pais e crianças ensinando crianças, ou um cara um pouco mais velho com gel no cabelo ensinando seus filhos.
Mas o que aconteceria se a juventude perdida chegasse a sua igreja e eles vissem as crianças lá, a juventude em um relacionamento amável e maravilhoso coletivamente com seus pais. Então, eles diriam: “Nossa. Nunca vi nada como isso antes. Olha só o pai dele. Ele ama… Quero dizer, ele ama o pai dele. Quero dizer, olha só… Então isso é o Cristianismo?”
Veja, meu querido amigo, vamos dizer… Eu não sou nenhum médico, mas um homem vem a mim com um sangramento na testa e diz: “Irmão Paul, eu já fui a todos os lugares. Ninguém consegue diag-nosticar meu problema.”
E eu digo: “Bem, eu não sou médico, mas vou segui-lo por 24 horas.”
E eu noto que sempre que o relógio soa, soando uma hora, ele bate em sua própria cabeça com um tijolo uma vez. Soando duas horas, ele bate com um tijolo em sua própria cabeça duas vezes. So-ando 12 horas, ele bate 12 vezes em sua própria cabeça com um tijolo.
Após observá-lo cautelosa e cuidadosamente, fazendo anotações por 24 horas, eu vou a ele e digo: “Sabe, acho que descobri qual o seu problema. Não sou médico, mas acho que descobri qual o seu problema.”
É patético dessa forma entre nós, igreja. Por que nossos filhos fazem o que fazem? Por que tudo é…?
É como um velho querido santo. Alguém o questionou uma vez por que ele não deixaria seu filho adolescente sair com uma jovem moça para um lugar reservado. E disseram: “Você não confia em seu filho?”
Ele disse: “Não, eu não confio em meu filho. O que o fez pensar isso? Eu não confio em seu pai. Eu não deixaria o pai dele sozinho com uma mulher que não fosse sua esposa e tenho muito mais a perder que o menino. Tenho muito mais controle sobre minha própria vontade do que um adolescente com hormônios raivosos. O que o fez pensar que eu o deixaria?”
Nós violamos princípios bíblicos após princípios bíblicos após princípios bíblicos e depois imagina-mos por que está tudo uma bagunça.
Para finalizar, apenas uma passada bem rápida comigo… Vocês sabem que quando eu digo “bem rápido”, eu vou fazer alguma comparação. Vá até 1 Timóteo. Há alguns meses atrás eu estava ouvindo sobre todas as coisas horrendas que estavam acontecendo com nossa — não sei como vocês chamariam agora: república, democracia, país, realmente não tenho certeza, estado socialista — e eu estava tão sobrecarregado que sentei lá ouvindo e eu estava dizendo: “Deus, o que eu posso fazer? Agora mesmo, Senhor, honestamente com tudo o que há em mim eu pularia no meio do fogo. Eu vou… Se houver um rinoceronte atacando, eu pularei na frente dele. Apenas me diga o que fazer. Tu queres que eu vá para Washington e apenas fique em pé diante da Casa Branca e pregue até que me atirem na cadeia? Estou cansado de pregar apenas para cristãos e em igrejas e tudo mais. Deus, apenas… O país está indo para o Inferno. Apenas me atire. O que queres que eu faça? Apenas me atire a eles.”
Versículo um do capítulo quatro: “Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé,” 1 Timóteo 4:1, “dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas de de-mônios.”
Agora, ele segue basicamente contando ao jovem Timóteo que todo o Inferno irá se manifestar na cultura, que tudo será simplesmente enlouquecedor. Homens como feras.
Eu estive com Conrad Mbewe há alguns meses atrás e o ouvi pregar. Chamam-no de Spurgeon da África e muito justamente. Se você tiver a chance de ouvi-lo, ouça. Ele é um dos meus pregadores favoritos no mundo. Ele disse isto:
Ele disse: “Na África não temos mais medo das feras. Nós não corremos das ferras. Nós tememos homens e corremos de homens.” Ele estava falando, é claro, da depravação. Mas ele disse ainda que: “Só o mundo irá perder o controle, Timóteo.” Agora, o que ele diz também? Versículo seis: “Expondo estas coisas aos irmãos, serás bom ministro de Cristo Jesus, alimentado com as palavras da fé.”
E bem aqui, este texto recém começa a se desatar para mim. É, Paul, o mundo perdeu a cabeça. Tudo vai acontecer. Está sob minha Providência, mas ouça-me. Aqui deveria ser sua reação em meio à manifestação de todo inferno, em meio à apostasia, em meio à perseguição. Eis o que você precisa fazer: Esteja constantemente alimentado com as palavras da fé.
Nós sempre queremos correr lá fora e fazer alguma coisa. Queremos consertar alguma coisa. Deus está em busca de homens de caráter, educados, fortes. Em primeiro lugar, filho, seja “constantemente alimentado com as palavras da fé e da boa doutrina que tens seguido.”
Este “que tens seguido” é muito importante. Penso que está nos indicando que um simples estudo intelectual da Escritura não irá alcançar o objetivo que Deus tem para seus homens. Eles devem obe-decê-la. Devem começar a segui-la. Você não pode aprender bem a doutrina até que siga a doutrina que aprende.
E então, ele diz isso. Diz: “Mas rejeita as fábulas profanas e de velhas caducas.”
Meu querido amigo, deixe-me contar-lhe uma coisa. Toda essa coisa de Igreja Emergente, muito desse negócio de Crescimento Eclesiástico, tudo o que há de sensibilidade cultural, jogando pela janela a sensibilidade a bíblia, é apenas um punhado de menininhos querendo brincar de igreja sem o poder de Deus em suas vidas. E vou manter essa opinião.
É um pouco menos que Davi tentando se ajustar à armadura de Saul. Pouco me importa.
Quanto mais você confia no braço da carne, menos você verá o poder de Deus.
Ele diz isto: “Exercita-te, pessoalmente, na piedade.” (1 Timóteo 4:7)
Homem de Deus, você quer renovação. Eu também. Entretanto, nós precisamos de um exército. Se espadas poderosas, força, apitos flamejantes, espadas e armamento cairão do céu para que nós lutemos, então precisamos ser o tipo de homens que possam arcar com tais coisas, manejá-las e lutar com elas com caráter ressonante. Devemos nos disciplinar pelo propósito da piedade.
Jovens, disciplinem-se a orar. Disciplinem-se à leitura sistemática das Escrituras de Gênesis a Apo-calipse diversas vezes. Disciplinem-se no seu discurso. Disciplinem-se nas companhias que mantêm. Dis-ciplinem-se no seu deitar e no seu levantar. Isto é uma guerra. Disciplinem-se.
Jovens, posso lhes dizer uma coisa: A menos que você seja uma exceção, nascido na geração que você nasceu, se você tem menos de 30 anos de idade, aliás, até mesmo menos de 40, você pro-vavelmente carece de disciplina porque você nunca foi obrigado a trabalhar. Você nunca teve que trabalhar por sua comida e seus pais nunca o fizeram trabalhar tanto até seus ossos chorarem.
Os homens que mais têm realizado e sido usados por Deus têm sido homens de trabalho no minis-tério. Isso é duro e vai custar-lhe tudo.
E assim que você for um homem velho, estará quebrado, mas forte nas coisas de Deus.
Exercita-te, pessoalmente, na piedade. Pois o exercício físico para pouco é proveitoso, mas a pie-dade para tudo é proveitosa, porque tem a promessa da vida que agora é e da que há de ser. (1 Timó-teo 4:7b, 8)
Ah, meus queridos amigos, quem se importa com uma vida melhor agora? Eternidade. O dia em que você se põe de pé naquele salão de granito diante do Senhor da glória, e reis e os maiores homens na terra são divididos, partidos e selecionados, alguns lançados no inferno eterno, e alguns convidados à gloriosa vida eterna para sempre.
Esses atletas olímpicos, quão majestosos são, mas somente por um momento. Eles começam a treinar quando têm quatro ou cinco anos de idade. Eles nunca fazem nada senão treinar até que te-nham 22 anos. Correm uma corrida de nove segundos por uma medalha que carregam pendurada, e é isso. Você não pode dar o mesmo pelas coisas eternas?
Alguns dos maiores homens de Deus são homens muito limitados em seus corpos. Foram tão limi-tados em suas habilidades que tiveram que focar em apenas uma coisa: O ministério.
“O exercício físico para pouco é proveitoso.” (1 Timóteo 4:8)
Fiel é esta palavra e digna de inteira aceitação. Ora, é para esse fim que labutamos e nos esfor-çamos sobremodo, porquanto temos posto a nossa esperança no Deus vivo. (1 Timóteo 4:10)
Isto não é um martírio ao qual inutilmente damos nossas vidas por nada, apenas para sejamos pulverizados sem esperança. Não. Servimos a Deus e Deus nos honrará. Nós colocamos nossa esperança nisso e isso nos dá força. Força.
Ah, esta vida é um vapor. Eu tenho 47 anos, mas ontem eu tinha 21. Para onde tudo isso foi? É um vapor! Enquanto você tem força, pregue. Eu louvo a Deus, pois por sua providência, enquanto eu era jovem, passei minha vida nas montanhas dos Andes e nas selvas do Peru fazendo o que eu não tenho mais força para fazer.
Enquanto você é um jovem, enquanto há força em você, trabalhe com toda a sua energia. Pegue aqueles estúpidos jogos de vídeo-game que você tem e esmague-os com seus pés. Jogue a TV pela janela. Você foi feito para coisas maiores que essas.
Se você é um filho do rei, nada nesta terra pode satisfazê-lo. Nada.
“Ordena e ensina estas coisas.” (1 Timóteo 4:11)
Agora, há muito aqui, mas olhe no versículo 15: “Medita estas coisas; ocupa-te nelas, para que o teu aproveitamento seja manifesto a todos.” (1 Timóteo 4:15)
Vamos dizer que numa mesa de madeira meu filho derrama um copo d’água. E, pela lógica da natureza, as leis que Deus colocou nela, a água acumula um pouco na mesa, o suficiente para que você possa ver uma poça. Você passa por ali e diz: “Há água derramada na mesa.” É evidente para todos.
Mas então eu passo por ali, pego uma toalha, passo sobre a poça de água derramada e a sus-pendo. E você diz: “Não vejo mais água nenhuma. Onde está?” Foi absorvida pela toalha.
Homens, vocês devem estar absorvidos nessas coisas de piedade e caráter. Homens, eu rogo a vocês. Escutem-me. Isto é muito importante. Vocês não são garotos de recado. Não é para vocês des-perdiçarem seus dias limpando os narizes de crentes carnais. Dediquem-se aos seus estudos. Bebam profundamente. Sejam tão absorvidos no conhecimento e na intimidade com Deus que as pessoas di-gam: “Onde ele está? Ele costumava ser um homem tão notável na cidade, um amigo de todos, uma figura. Onde ele está?” Ele está ocupado nessas coisas.
Nós somos homens de Deus. Somos ministros do Altíssimo. Deveria haver uma alteridade sobre nós. Devíamos ter um olhar de contemplação em direção a um ganho distante. A maior coisa que podemos fazer pelo nosso povo é sermos homens de Deus ocupados nas coisas de Deus para que quando abrir-mos nossas bocas, a Palavra de Deus saia.
Na igreja que freqüento, Jeff Noblett é o pastor principal. Ele sempre se dedicou aos estudos, mas quando cheguei lá, conversei com ele e conversei com outros líderes. E sempre que alguém me per-guntava alguma coisa, eu dizia: “Por favor, façam isto: tomem o quanto puder do fardo do irmão No-blett e deixem que ele viva para o estudo com Deus, pois tenho filhos aqui. E o maior presente que a-quele homem poderia me dar é estudar para se apresentar aprovado e vir ao púlpito no poder do Espí-rito Santo e proclamar: ‘Assim diz o Senhor,’ corrigindo e repreendendo, anunciando grandes promessas e advertências. Por favor, façam isso por mim.”
Pastor, por favor, faça isso pelo seu povo, porque Ele diz: “Tem cuidado de ti mesmo e da doutri-na. Continua nestes deveres; porque, fazendo assim, salvarás tanto a ti mesmo como aos teus ouvintes.” (1 Timóteo 4:16)
Vamos acabar logo com isso. Esse versículo significa quase nada na comunidade evangélica hoje. Quantos pastores e pregadores você pensa que tomam isso seriamente: “Eu preciso ter cuidado de mim mesmo para garantir a salvação para mim e para aqueles que me ouvem”?
Eu tenho uma pergunta, pastor: Quando foi a última vez que você examinou sua própria vida para ver se você está na fé, para ver se você realmente O conhece?
Veja, meu querido amigo, eu tenho grande certeza quando estudo minha própria conversão, quando a discuto com outros homens, quando olho para os 25 anos da minha peregrinação com Cristo. Tenho total certeza de O ter conhecido. Mas até mesmo sei se eu fui desviado da fé, e se fui embora, e se continuo indo naquela direção, para a heresia e o materialismo. Essa poderia ser a maior das provas de que eu nunca O conheci. Que a coisa toda tenha sido um trabalho da carne. Eu sei que o que estou dizendo está sendo marcante para você. Você pensa: “Meu Deus, eu nunca ouvi tal coisa.” Essa é o antigo caminho. Leia O Peregrino ¹.
“Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salva-rás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem.” (1 Timóteo 4:16)
Que Deus abençoe Sua Igreja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui!

Pages