Assim diz o Senhor: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas. Mas eles disseram: Não andaremos nele. Jr. 6:16

"Estou crucificado com Cristo" "Ich bin Mit Cruscificado Christus" "Yo estoy crucificado con Cristo" "Ik ben gekruisigd met Christus" "Я являюсь распят со Христом" キリストと共に十字架につけられています。Je suis crucifié avec le Christ 我是與基督釘在十字架上 אני ונצלב עם המשיח

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Até que o dinheiro os separe

Li esta matéria na revista VOCÊ S/A, achei interessante e estou repassando para os casais ficarem atentos e não deixarem que o dinheiro abalem o seu casamento. 
Aproveitei e acrescentei alguns versículos da bíblia, para que possamos ficar atentos ao que diz a Palavra de DEUS.

Pra. Elza


ATÉ QUE O DINHEIRO OS
S.E.P.A.R.E
A falta de diálogo sobre grana é o principal motivo de brigas e até de separação nos relacionamentos. Mas, com alguns ajustes financeiros (e na comunicação), é possível viver em paz com seu amor e seu dinheiro.
Para muitos casais a palavra dinheiro soa como um problema sem solução. Se um quer comprar um carro zero e o outro fazer uma viajem para o exterior, a briga pode estar arranjada. E discutir com o amado por causa de dinheiro não tem nada de moderno.
No século XVII, Luiz XVI, rei da França, vivia em pé de guerra com sua mulher, Maria Antonieta. O casal não podia ser considerado um bom exemplo quando o assunto era finanças pessoais. Parte da discórdia era culpa da rainha. Uma vez quando o país passava por sérios problemas financeiros, Maria Antonieta tirou o rei do sério. Ela voltou para casa com um par de brincos que custava o preço de uma casa e por isso ficou conhecida como Madame Déficit.
Mas porque o dinheiro atravessou séculos causando tantos desentendimentos entre os casais?
De acordo com especialistas financeiros, além de o assunto ser um tabu para a sociedade, as pessoas tem receios ao lidar com sua grana, por isso elas preferem não falar sobre dinheiro, até mesmo com os amigos, parentes mais chegados. “Conversar sobre dinheiro é exibir quanto poder você tem.” Por causa disso, a insegurança é a grande vilã dos não abonados, que podem se sentir menos poderosos quando falam ou demonstram sua pouca capacidade financeira. Já quem tem muito dinheiro na conta corrente pode achar que vai ser alvo de cobiça ou da inveja dos outros, caso exponha sua capacidade monetária.
A solução para essas pessoas é o silencio.
Casais sem sintonia
Veja abaixo o perfil dos casais que tem maior dificuldade para administrar as finanças pessoais e quase sempre brigam na hora de planejar o futuro financeiro.
  1. Casal “Tô nem aí” É bem comum. Um dos casais não tem a menor vocação para lidar com o dinheiro e não mostra disposto a entender sequer porque usar o cheque especial é uma grande roubada.
          Porque é um problema: É comum a parte que se interessa por finanças assumir a
          dianteira dos orçamentos. A tendência é que o financeiro do casal passa a ditar as
          regras e as brigas comecem a ficar freqüentes.
            Como evitar as brigas: Demonstre algum interesse pelo assunto e definam as metas
            juntos.
      Como diz na Palavra de Deus: Filipenses 2:1-6  “Não é verdade que, por estarem unidos com
      Cristo, vocês são fortes, o amor dele os anima, e vocês participam do Espírito de Deus? E
       também não é verdade que vocês são bondosos e misericordiosos uns com os outros? Então peço
       que me façam completamente feliz, tendo o mesmo modo de pensar, tendo um mesmo amor e sendo
       unidos de alma e mente. Não façam nada por interesse pessoal ou por desejos tolos de receber
       elogios; mas sejam humildes, e cada um  considere os outros superiores a si mesmo. Que cada um
       procure os interesses dos outros  e não somente os seus próprios interesses. Tenham entre vocês o
            mesmo modo de agir que Cristo Jesus tinha: ELE sempre teve a mesma natureza de Deus.
  1. Casal perdulário “Esbanjador” O homem ou a mulher ou, pior, ambos não tem a menor noção de quanto gastam. O investimento não é assunto porque não sobra dinheiro no final do mês.
          Porque é um problema: A instabilidade financeira é o motivo das brigas. Um está
          sempre cobrindo o cartão de crédito do outro. Ou estão ambos no vermelho e sempre
          de mau humor.
          Como evitar as brigas: O primeiro passo é se dar conta do problema. O segundo passo é
          colocar as receitas e despesas no papel e pagar as dívidas. Depois é hora de traçar as
          metas.
            Como diz na Palavra de Deus: Romanos 13:8 “A ninguém devais coisa alguma, senão o amor
            recíproco.”
  1. Casal de um só: Eles são dois, mas não se conhecem como casal. Um não tem a mínima idéia de quanto o outro ganha, nem onde gasta e se tem ou não aplicações financeiras
     Porque é um problema: Não há cumplicidade e será mais difícil construir uma próxima
     etapa da vida a dois, como, por exemplo, comprar um imóvel.
    Como evitar as brigas: O primeiro passo é colocar as cartas na mesa. Para um
     relacionamento dar certo, um parceiro precisa saber quanto o outro ganha.
     Depois é hora de organizar as finanças do casal e investir juntos.
      Como diz na Palavra de Deus: Eclesiastes 4:9-12 “É melhor ter companhia do que estar sozinho,
     porque maior é a  recompensa do trabalho de duas pessoas. Se um cair, o amigo pode ajudá-lo a
      levantar-se. Mas  pobre do homem que cai e não tem quem o ajude a levantar-se! E se dois
      dormirem juntos, vão  manter-se aquecidos. Como, porém, manter-se aquecido sozinho? Um homem
      sozinho pode ser vencido, mas dois conseguem defender-se. Um cordão de três dobras não se rompe
      com facilidade.”
Dinheiro é a causa de divórcios
Muitos casais não conseguem estabelecer uma comunicação franca, capaz de resolver as inquietações financeiras. Uma pesquisa feita nos Estados Unidos com 1500 casais recém divorciados, mostrou que para  40% deles o dinheiro foi o principal motivo das brigas que levaram a separação. Aqui no Brasil, a realidade não é diferente, foi feito uma pesquisa com 150 pessoas na cidade de São Paulo, com idade entre 18 e 45 anos. O estudo feito em 2004 revelou que 38% brigavam por causa de dinheiro. Mesmo depois de seis anos o dinheiro continua sendo um dos maiores problemas para quem divide o teto.
Segundo advogados especialistas em direito de família, os problemas financeiros que mais contribuem para a separação e divórcio de um casal são:
§  Excesso de pão-durismo de um dos dois
§  Falta de dinheiro para o sustento da família
§  Perda do patrimônio
§  Opiniões diferentes sobre o que fazer com a grana
§  Desconfiança porque um não sabe o que o outro faz com o dinheiro
Como diz na Palavra de Deus: Ageu 2:8 “Toda prata e todo ouro do mundo são meus”
Conclusão: É nas nossas atitudes que mostramos aos nossos filhos a ética e os valores que temos. Então fique de olho na maneira que você está se comportando perto de suas crianças, uma mãe que esconde do pai a compra de uma bolsa nova ou de um par de sapatos extra, não está se preocupando nada para que seu filho cresça e aprenda a ser um adulto financeiramente educado. No futuro é provável que a situação volte a se repetir: um adulto que prefere não falar sobre dinheiro, até mesmo com os amigos e parentes mais chegados.
Pra. Elza
§  Extraído da revista VOCÊ S/A
§  Trechos da Bíblia na linguagem de hoje

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui!

Pages