Assim diz o Senhor: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas. Mas eles disseram: Não andaremos nele. Jr. 6:16

"Estou crucificado com Cristo" "Ich bin Mit Cruscificado Christus" "Yo estoy crucificado con Cristo" "Ik ben gekruisigd met Christus" "Я являюсь распят со Христом" キリストと共に十字架につけられています。Je suis crucifié avec le Christ 我是與基督釘在十字架上 אני ונצלב עם המשיח

terça-feira, 13 de setembro de 2011

SÉRIE FEITOS NOTÁVEIS DA CRUZ - ELE NOS DESPOJOU DA NATUREZA CARNAL


Primeiro homem a ser criado por Deus foi feito alma vivamente (Gn 2:7),  le possuía espírito e corpo mas o que predominava nele era sua alma, a sua mente. Sede da vontade, pensamentos emoções e sentimentos. O criador o fez assim dotando-o de uma mente capaz, prodigiosamente.
Inteligente e engenhosa, o que tornava muito superior e dominador sobre todos os outros seres criados (Gn 1:26). Se o homem terreno, feito alma vivente, tivesse comido da arvore da vida, ele se tornaria um ser espiritual, no qual o espírito de Cristo passaria a habitar nele. Controlando e guiando sua mente, cumprindo-se em sua vida todos os tremendos propósitos do pai (Salmo 8). Mas quando o homem fez a escolha errada, pecando ao comer da arvore da ciência do bem e do mal (Gn 2:9 e 15-17 e 3:1-24), ele imediatamente sob o efeito do pecado, morreu espiritualmente e sua mente se tornou dominada por uma natureza carnal e pecaminosa. O Homem perdeu gloria de Deus (Rm 3:23) e a natureza pecaminosa,nele gerada pelo pecado passou a dominar a sua mente. Inclinando-o continuamente para as paixões carnais. Todo ser humano já nasce carnal. Dominado pela natureza pecaminosa (Gn 6:4 Versão atualizada e Ef 2:1-3). No homem. Agora carnal, seus pensamentos, vontades e emoções estão escravizados por uma natureza pecaminosa que faz com que ele viva exclusivamente para sua glória pessoal, para as coisa terrenas e para satisfação de suas necessidades espirituais, psíquicas e físicas de maneira totalmente degenerada. (Rm 1:18-32). Na parte espiritual o homem carnal quer agradar a deus. Buscar a Deus, ser livre do pecado por suas próprias forças, por seus próprios méritos, para sua gloria pessoal – criando com isso as religiões, as denominações e esquemas humanos de fé, correntes teológicas, regras, regras, leis, sistemas, etc... tudo morto, tudo sem vida (Cl 2:16-23 e Gl 4:22). Na parte psíquica o homem carnal passa a ter pensamentos, vontades, desejos e emoções totalmente degenerados: inveja, ódio, ira, ciúmes, vaidade, orgulho, amargura, ressentimento, malicia, sensualidade, etc... Na parte física, o homem carnal passa a satisfazer suas necessidades e instintos materiais de maneira totalmente distorcida: a fome, dá glutonaria, a sede e a embriaguez: o sexo a prostituição, adultério, lascívia, homossexualismo, masturbação, etc... (Gl 519-21).Com esta natureza pecaminosa constante agitando a sua alma. Lançando nela toda sorte de cobiças carnais (1Pe 2:11) o homem não tem verdadeira paz não pode ser controlado pelo espírito. Não é salvo e não pode herdar o reino de Deus (Rm 8:7-8, Gl 5:16-21). Enquanto o homem esta vivendo a sua vida natural é comum no pecado, ele não tem consciência da sua natureza carnal: mas quando ele por várias circunstâncias começa a querer sinceramente abodecer a Deus, mudar de vida, agradar a Deus, ai começa sua grande crise: ele percebe que apesar de todo o seu esforço é capaz de uma vida de plena obediência a Deus e chega a esta conclusão “... eu sou carnal, vendido sob o pecado... Miserável homem que sou...!” (Rm 7:14-25). O grande problema é que muitos neste momento passam a usar de todos os esforços e justiça própria para vencer a natureza carnal, tentando vencê-la, crucificá-la com sua própria capacidade: orações, jejuns, auto-disciplina, legalismos, etc... tudo isto é em vão! Apenas a obra da cruz do Senhor Jesus Cristo é que nos liberta total e definitivamente da natureza carnal, pois a palavra de deus nos garante que fomos incluídos na morte de Jesus e que ali nossa natureza carnal foi crucificada, fomos despojados do corpo da carne (Cl 2:11) e quem em sua morte, “a carne foi crucificada com suas paixões e concupiscências  (Gl.5:24).

 Conseqüências para nossa vida

Portanto obra do Senhor Jesus na cruz foi completa para nos libertar do pecado não somente o aniquilou (Hb 9:26, Boletim ágape de Nov/98) mas crucificou o pecado a natureza carnal que o pecado operou em nós. Vós porem não estais na carne, mas no espírito se é que o espírito de Deus habita em nós (Rm 8:9a). Esta habitação interior do espírito não apenas um uso externo para o mistério como o caso de Sansão entre tantos só é possível para os libertos da natureza carnal.Livres da carne (Rm 7:5-6) nascidos da palavra do Espírito, nos tornamos agora como o ultimo Adão seres espirituais, “espíritos vivificantes” (1Co 15:45 e Jo 20:21-23) o fruto do espírito é produzido agora em nós espontaneamente sem nenhum esforço de nossa parte (Gl 5:22-24)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui!

Pages