Assim diz o Senhor: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas. Mas eles disseram: Não andaremos nele. Jr. 6:16

"Estou crucificado com Cristo" "Ich bin Mit Cruscificado Christus" "Yo estoy crucificado con Cristo" "Ik ben gekruisigd met Christus" "Я являюсь распят со Христом" キリストと共に十字架につけられています。Je suis crucifié avec le Christ 我是與基督釘在十字架上 אני ונצלב עם המשיח

sábado, 10 de setembro de 2011

SÉRIE FEITOS NOTÁVEIS DA CRUZ - ELE FIRMOU CONOSCO UMA NOVA ALIANÇA


Ele firmou conosco uma nova Aliança

Desde a criação do Homem Deus sempre o procurou para estabelecer aliança com ele: ele é um Deus de alianças. Ele sempre quis que o homem soubesse claramente privilégios e responsabilidades. As promessas e bênçãos a sua disposição. Bem como seus deveres e limites. Portanto, as alianças são as bases do mover de Deus na história do seu relacionamento com os homens através das quais Ele sempre manifestou todo Seu amor e graça, sendo tremendamente generoso nas suas dádivas para com o homem (Salmo 8 e ICr 17:16–19).

Ele é um Deus que “guarda a aliança” – Daniel 9:4, Ex 2:23-25, Lc 1, Sl 105:42. Até a morte de Cristo no calvário. Deus já tinha firmado várias alianças com o homem: com Adão (Gn 1:27-17 e 2:15-17) com Noé (Gn 6:13-22 e 9:8-19) com Abraão (Gn 17:-14), com o povo de Israel (Ex 19:5-6 e 24:1-8) e com Davi (IISm 7:12-17, Sl 89:3.4 e 132:11-18 Ml 2:4-8). Mas em todas estas alianças o homem nunca pode alcançar a plenitude de suas promessas porque devido a sua natureza carnal e pecaminosa herdada do pecado, ele sempre foi infiel para com Deus, não permanecendo e não observando estas alianças.
Nos dias em que Jesus veio ao Mundo estava em pleno vigor a aliança de Deus com o povo de Israel que englobava também as promessas de Deus à Adão, Noé, Abraão e Davi, pois o propósito era fazer daquele povo “um reino sacerdotal” que abençoasse o Mundo (Ex 19:5-6).

Mas a própria palavra de Deus nos mostra que aquele pacto, concerto, aliança, testamento não era perfeito, não era irrepreensível, antes pelo contrário continha certos defeitos que impediram que aquela aliança funcionasse de maneira plena. “Porque, se aquela primeira aliança tivesse sido sem defeito, de maneira alguma estaria sendo buscado lugar para segunda” (Hb 8:7 – Versão Atualizada).

Quais eram estes defeitos?   

1- O homem tinha que fazer a sua parte (Ex 24-3), o que ele não conseguiu (Hb, 8:9):
2- O herdeiro era uma criança escravizada ao pecado e a carne (Gl 4:1-3, Rm 7:13-15, ICo 3:1-4, ICo 14:10)
3- As suas promessas não podiam vigorar com forças de lei porque o testador não morrera (Hb 9:16-17).

Porque estas razões apesar de toda aparência de glória dos cultos, sacrifícios. Cerimônias, rituais, templo, sacerdócio, etc, os homens tinham coração duro. Seus pecados não eram purificados ao nível da consciência (Hb 10:4). Não podiam entrar na presença de Deus (Hb 9:6-9). Não podiam conhecer outra coisa a não ser o divorcio (Mt. 19:8) “olho por olho dente por dente”. Tinham  idéias apavorantes da morte (Jó 7:9-11) eram obcecados pelo desejo de agradar os anjos e eram oprimidos por demônios (Cl 2:18), guardavam “dias, meses, tempos e anos” (Gl 4:9-10) numa ânsia de viver pelo menos uma aparência de vida santa. E  assim tudo não passava de sombras enquanto não chegassem a realidade em cristo (Hb 10-1). Mas Jesus Cristo veio estabelecer entre Deus e o homem uma nova aliança. Que ao mesmo tempo não continha as promessas não realizadas nas outras, como também trouxe para o homem promessas infinitamente superiores as da Velha aliança (Hb 8:6). Para estabelecer uma nova aliança entra Deus e os homens que fosse perfeita. Inquebrantável. Irrevogável, e com promessas plenamente realizadas na vida do homem. Jesus Cristo ofereceu seu corpo e sangue lá na cruz. (Hb 13:20)
A realidade é Cristo, tudo antes eram sobras, todas as alianças se cumpriram em Cristo. (Ap 17:8)

“Isto é meu corpo que é partido por vós”(ICo 11:24)
Estas palavras ditas na santa ceia, se cumpriram no madeiro quando Ele, nos atraindo no seu corpo (Jo 12:32). Aniquilou o pecado (Hb 9:26), nos despojando da natureza carnal (Cl 2:11) e crucificando nosso velho homem, (Rm 6:6) destruindo tudo aquilo que impedia o homem de ser fiel em suas alianças. (Cl 2:14-15 , Rm 7:4)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui!

Pages