Assim diz o Senhor: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas. Mas eles disseram: Não andaremos nele. Jr. 6:16

"Estou crucificado com Cristo" "Ich bin Mit Cruscificado Christus" "Yo estoy crucificado con Cristo" "Ik ben gekruisigd met Christus" "Я являюсь распят со Христом" キリストと共に十字架につけられています。Je suis crucifié avec le Christ 我是與基督釘在十字架上 אני ונצלב עם המשיח

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Dinheiro Rápido e Fácil! (Eu tô fora)

Por Rev. Gaspar de Souza
Não existe ou se ganha dinheiro fácil. Quando a oferta de dinheiro fácil aparece, alguém, em algum lugar, está sendo prejudicado. Os modos lícitos de ganhar dinheiro são trabalho, poupança, heranças, investimentos lícitos, doações etc. (Gen. 1.26; 2. 15; 19; 3. Ef. 4.28; 1Ts. 2.9; Pv. 6.6 – 11; 1Ts 4.11; Pv.; 10.4; Pv. 13.11; Pv. 14.22; 21.5; Deut. 23. 19, 20).
Percebo que, geralmente, oferecem-se as vantagens de “se ganhar rápido”, “que tem gente que ganhou X mil reais em poucos meses”, “fulanos que já compraram bens de consumo – carros importados, apartamentos etc”. Atraí-se pela COBIÇA de ganhar MUITO DINHEIRO e FÁCIL!!!
Fico a pensar na questão quando existem Cristãos envolvidos e não pensam na possibilidade de trazer prejuízo a outros (Sal. 15. 1 – 5). Há aqueles que apelam para o fato de “enquanto estiver entrando dinheiro, então tudo bem. Estou me dando bem”. E aqueles a quem você prejudicou? Até onde se conhece da Revelação, reter o que é dos outros por fraude, ainda que no exercício “do trabalho”, é roubo (Tg. 5.4; Lc. 19.8; Pv. 21.6)
Há, ainda outros, que apelam para LEGALIZAÇÃO dos “meios rápidos” de ganhar dinheiro. Ora, não é a legalização que define o que é moral/ético. Para o Cristão, o princípio geral da Ética Cristã, aplicada em todas as áreas, provém das Escrituras, não do Estado, interessado em ter LUCRO, licitando o que é ilícito. Se a lógica for a da legalização, penso que para muitos “cristãos” não haverá problemas manterem “bordéis”(casa de prostituição) ou “centros de consumo de entorpecentes” quando tais forem LEGALIZADOS.
Não! Eu não participarei de nenhuma forma de “ganhar dinheiro fácil e rápido” que não sejam aqueles estabelecidos pelas Escrituras. Não me importa se “alguns estão ficando ricos”, “conquistando bens que, com trabalho e poupança, levariam anos” ou “caindo dinheiro na conta toda semana”. Não estou aceitando convites. Quando confirmado, se confirmado, que se trata de “meio lícito e ético” de investimento, sem que alguém esteja sendo lesado ou prejudicado, ainda assim, não pretendo, firmemente, participar. Procurarei investimentos sólidos, confiáveis e ortodoxos, conservadores para o mesmo. Meu tesouro não está em querer ficar rico.
Contentamento é uma palavra que os Cristãos precisam relembrar (1Tm 6.6,8)
“Trabalhar com língua falsa para ajuntar tesouros é vaidade que conduz aqueles que buscam a morte”(Provérbios 21.6).
“A riqueza de procedência vã diminuirá, mas quem a ajunta com o próprio trabalho a aumentará”(Provérbios 13.11)
[Intercâmbio Feito por Rodrigo Ribeiro]
Fonte: Ump da Quarta.

Nota do Blogueiro: Pessoal, semana passada recebi a notícia de que uma juíza do Acre bloqueou o pagamento do sistema financeiro de pirâmide chamado Telexfree. Segundo a magistrada Thaís Khalii, o sistema é insustentável e é ilegal por causar prejuízos a muitas pessoas. Ela explicou que “o foco da Telexfree é o recrutamento de pessoas. Como é uma atividade que não tem sustentabilidade, na hora que não tiver mais gente para entrar, a cadeia quebra e as pessoas vão ficar no prejuízo”. O que me espantou diante de tudo isso foi ouvir muitos cristãos murmurando por não terem dobrado suas finanças, dando-me a impressão de quea prioridade nesta vida permeia valores, lucros, riquezas…
“Me desculpem os que foram e são enganados pelas pirâmides financeiras da vida, mas não tenho pena alguma deles. Todos, sem exceção, visaram ganhar dinheiro sem o necessário trabalho, a famosa e odiosa grana fácil. Que fiquem com seus prejuízos! Todos são co-responsáveis pelo engodo, na medida em que apesar de terem sido enganados, também enganaram. Espero que sirva de lição, pois, definitivamente, não existe almoço grátis. Larguem a ganância e vão lutar para construir seus sonhos”    [Gustavo Pessoa Tavares de Lyra, juiz de Direito]

Antognoni Misael, co-editor do Púlpito Cristão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui!

Pages