Assim diz o Senhor: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas. Mas eles disseram: Não andaremos nele. Jr. 6:16

"Estou crucificado com Cristo" "Ich bin Mit Cruscificado Christus" "Yo estoy crucificado con Cristo" "Ik ben gekruisigd met Christus" "Я являюсь распят со Христом" キリストと共に十字架につけられています。Je suis crucifié avec le Christ 我是與基督釘在十字架上 אני ונצלב עם המשיח

sábado, 24 de setembro de 2016

Muçulmano empurra seis cristãos no mar por orarem durante travessia de barco

Segundo os sobreviventes, o capitão muçulmano e seu comandante "acreditavam que o mar ficou mais agitado por causa da oração das vítimas".

Um muçulmano foi acusado de assassinar seis ocupantes de um barco de migração por causa da fé cristã dos passageiros.
Os sobreviventes de uma travessia que conduziu migrantes desde Marrocos até o sul da Espanha, em 2014, relataram que o capitão muçulmano da embarcação, identificado como Alain NB, culpou os passageiros cristãos pelo aparecimento de uma tempestade e empurrou seis homens para fora do barco.
De acordo com os relatos dos 29 sobreviventes que estavam entre os 50 imigrantes africanos, o capitão e seu comandante "acreditavam que o tempo piorou por causa da oração das vítimas".
Segundo depoimentos, os dois camaroneses utilizaram tábuas de madeira retiradas da estrutura do barco para agredir o pastor nigeriano. "Eles feriram o pastor gravemente antes de jogá-lo ao mar", relatou o Ministério Público antes do início do julgamento, em Almeria, na Espanha.   
Os dois homens revistaram os passageiros para ver se encontrariam amuletos ou símbolos cristãos escondidos em suas roupas e atacaram as vítimas cristãs.
Segundo a acusação, Alain NB "estava ciente que as vítimas não poderiam sobreviver, seja pelo afogamento, pelo frio, ou pelas lesões físicas que tinham sofrido. Ele estava ciente da baixa temperatura, dos mares agitados, da grande distância da costa e da ausência de quaisquer barcos nas proximidades, que poderia resgatá-los".
No dia 5 de dezembro de 2014, os serviços de resgate encontraram 29 sobreviventes à deriva das embarcações, em Almeria. Pelo menos 21 pessoas morreram durante a travessia, incluindo cerca sete bebês cujas mães não conseguiram segurar.
O julgamento está em processo na Espanha. Os acusados poderão sofrer 15 anos de pena por assassinato com o agravante da "motivação religiosa", levando a sentença a até 90 anos.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário aqui!

Pages