Assim diz o Senhor: Ponde-vos nos caminhos, e vede, e perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho, e andai por ele; e achareis descanso para as vossas almas. Mas eles disseram: Não andaremos nele. Jr. 6:16

"Estou crucificado com Cristo" "Ich bin Mit Cruscificado Christus" "Yo estoy crucificado con Cristo" "Ik ben gekruisigd met Christus" "Я являюсь распят со Христом" キリストと共に十字架につけられています。Je suis crucifié avec le Christ 我是與基督釘在十字架上 אני ונצלב עם המשיח

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Ator se posiciona em Hollywood: “Não uso o nome do Senhor em vão, nem beijo outra mulher”

O ator norte-americano Neal McDonough, conhecido por interpretar Timothy “Dum Dum” Dugan no filme “Capitão América: O Primeiro Vingador“, definiu duas regras para os papéis que desempenha em Hollywood: não usar o nome de Deus em vão e nem beijar outra mulher.
“A vida se resume em honrar a Deus e ser o melhor ser humano que você puder, dando louvor a Deus em tudo o que fizer”, disse McDonough ao site Christian Examiner.
“Matar pessoas nos filmes — é falso. Não é real. Quando você está na cama com outra mulher em um filme, adivinhe? É real. Eu não gosto desse tipo de coisa, especialmente agora com as crianças. Eu não quero que os meus filhos digam: ‘Pai, o que você está fazendo com essa mulher no filme?'”, acrescentou.
Casado e pai de cinco filhos, McDonough deixou de participar de alguns filmes e programas de TV ao longo de seus 50 anos de idade. O próximo longa que será lançado com a participação do ator é de produção cristã: “Greater”
O longa destaca o talento do jogador de futebol americano Brandon Burlsworth, mas também sua forte fé cristã. McDonough interpreta Marty Burlsworth, irmão mais velho jogador que, por causa da grande diferença de idade, se tornou uma figura paterna.
“Se eu pudesse fazer filmes sobre Deus todos os dias da semana, é o que eu faria pelo resto da minha vida”, disse McDonough. “Mas Hollywood não produz muitos filmes dentro desse tema para que eu consiga viver disso. Felizmente, algo como ‘Greater’, fará Hollywood percebe que podemos fazer filmes sem explosões e matar pessoas. É por isso que eu estou orando.”
Segundo McDonough, existem apenas “duas vias” para atores de Hollywood. “Você pode ser o cara que beija mulheres ou fazer uma carreira matador nos filmes”, disse ele. “Há duas regras que eu tenho para meus papéis: eu não vou usar o nome do Senhor em vão e nem vou beijar outra mulher”, ressaltou.
“Então, como posso ganhar dinheiro com filmes? Eu amo atuar. Assim o ‘homem coisa mal’ veio à tona, e esse tem sido o meu nicho por muito tempo”, esclareceu o ator. “Quero desfrutar da minha carreira, da minha família e, o mais importante, da minha relação com Deus. Espero que eu esteja fazendo Ele se sentir orgulhoso”.

Atriz Thaila Ayala é batizada e compartilha foto nas redes sociais: “Fui tocada por Cristo”

A atriz Thaila Ayala foi batizada no último domingo, 21 de agosto, e compartilhou uma foto da celebração nas redes sociais, revelando a todos sua decisão de seguir a Cristo.
“Não, essa foto não combina com meu feed. Mas ela é mais especial do que todas as outras juntas, porque eu me batizei!”, escreveu a atriz na legenda da foto, no Instagram.
A atriz, de 30 anos, afirmou à coluna F5, da Folha de S. Paulo que estava dando um novo sentido à própria vida, e que não está preocupada que vejam suas declarações e nova postura como clichê.
“Fui tocada por Cristo. Se alguém me contasse isso antes, eu ia falar ‘aham, legal’. É difícil de acreditar e até de explicar com palavras. Eu caí de joelhos no meio de uma oração”, contou, revelando que sua decisão de descer ás águas para simbolizar seu novo nascimento foi tomada depois de uma experiência espiritual real.
Thaila contou ainda que há um ano vem participando dos cultos, a convite de uma amiga: “Sempre vou aos cultos quando estou no Brasil, mas agora decidi me batizar, renovar minha fé”, contou, antes de relembrar sua relação de proximidade com a fé desde a infância, marcada pela tradição católica: “Sempre me considerei uma pessoa de fé. Fiz primeira comunhão, crisma, agradeço a Deus todas as noites antes de dormir pela vida maravilhosa que eu tenho, mas senti que isso ainda não estava suficiente. Eu queria ser uma pessoa melhor, fazer mais por Deus, encontrar meu caminho de gratidão”.
A agora evangélica disse se emocionou muito no momento do batismo: “Não dá para explicar o que eu senti na hora. Se você está muito aberto, disponível para Deus de coração, ele fala com você. Ele se faz presente de uma forma mágica. Foi emocionante ter essa oportunidade de estar reafirmando minha fé com ele. Chorei que nem louca”.
A nova vida virá acompanhada de novos hábitos, garante a atriz, que acredita ser possível continuar sua vida profissional sem que negue sua fé e seus princípios: “Claro que vou continuar desfilando, frequentando festas. O Cristo que eu acredito não tem nada contra isso. Minha preocupação é apenas ser uma pessoa melhor. O amor de Deus não tem nada contra a gente ser feliz e curtir a vida. Deus dá risada de julgamentos”, pontuou.
No dia anterior ao batismo, ela foi a uma festa, e se absteve da bebida alcoolica: “Dei uma passada na festa só para dar um beijo na Carol. Não bebi nada. Mas não porque alguém disse isso ou aquilo, fui eu mesma que não quis beber no dia anterior ao meu batismo, uma opção minha”, concluiu.

Gerente da Nike conta como Deus o livrou das drogas e suicídio: “Conheci o amor de Cristo”

Jordan Rogers já está livre do vício em heroína há 13 anos e hoje, olha para as drogas como um pesadelo que não deseja mais viver.
Jordan Rogers é um gestor da Nike na América do Norte, mas isto não seria possível se ele não tivesse se livrado das drogas, como ele compartilhou claramente em um novo vídeos do projeto cristão “I Am Second” (“Eu Sou Segundo”).
Ele já está livre do vício em heroína há 13 anos e, hoje, olha para as drogas como um pesadelo que não deseja mais viver.
“A heroína entrou na minha vida quando eu tinha acabado de fazer 15 anos”, disse Rogers no vídeo. “Um amigo meu estava cheirando alguma coisa e quando ele levantou a cabeça tinha aquele olhar de uma aparente satisfação. Ele chamou [a droga] de ‘Chiva’. Nós a cheiramos ali mesmo no capô do carro, naquela noite. Foi um dos sentimentos mais incríveis que eu já tive”.
Antes dos 20 anos de idade, Rogers já estava completamente viciado em heroína.
“A maioria das pessoas dizia: ‘As drogas são o seu problema, pare de usá-las’. Mas, para um viciado como eu, as drogas parecem ser a solução. Se você deixar essas drogas, aí sim terá problemas”, confessou.
Sobre o que o levou a experimentar as drogas inicialmente, ele contou que estava tentando preencher um vazio em sua alma.
“Eu tinha aquele buraco negro na minha alma e só queria mudar a maneira como eu me sentia. Eu queria ‘ficar alto’ de maneiras novas e diferentes. Eu queria me sentir como se tivesse tudo”, disse.
O vício de Rogers era tão pesado que nem mesmo outros viciados em heroína queriam estar com ele.
“Quando você tem viciados em heroína dizendo-lhe que eles têm medo de sair com você, você pode ter problemas”, acrescentou. “Eu pensei muitas vezes em me matar”.
Ele nunca levava as casas de recuperação a sério, porque pensava que ele era mais esperto do que todos aqueles que oferecem a esperança.
“Todo mundo à minha volta me dizia: ‘Você poderia ser muito melhor se simplesmente parasse de usar drogas”, contou Rogers. “E, no entanto, quando eu parava de usar drogas, não me sentia tão legal como todos me diziam. Eu me sentia pior. Eu me sentia rasgado. Eu queria morrer”.
Depois de passar anos entrando e saindo de processos de desintoxicação, além de se envolver em crimes, Rogers foi, finalmente, para uma instalação de tratamento judicial.
“Eu estava em uma cela roxa com um bando de caras e dois rapazes estavam discutindo sobre um rolo de papel higiênico”, contou ele. “Naquele momento, eu pensei: ‘Eu não fui feito para isso. Eu realmente mereço estar aqui, mas eu não pertenço a este lugar’. E eu já não tinha mais as drogas e o álcool para culpá-los por meus problemas. Eu estava sóbrio e enfrentando algumas consequências graves”.
Naquele momento Rogers orou a Deus, pedindo por ajuda: “Deus, quem quer que você seja… Eu preciso de ajuda”.
“Minha vida precisava mudar drasticamente. Eu estava naquele momento, quebrado”, lembra ele. “Eu agradeço a Deus porque eu passei 13 meses na prisão. Eu precisava de cada minuto ali para ter uma chance de lutar”.
Depois que saiu da prisão, Rogers estava sem casa e precisou ficar em um abrigo para moradores de rua e a luta contra o vício continuava acirrada. Mas um mentor surgiu para ajudá-lo e o chamou pelo seu nome, em meio a tantas batalhas.
“Nós precisamos conversar?”, perguntou o mentor. Rogers ficou surpreso e respondeu: “Sim … eu preciso”
“Ele me mostrou o amor de Cristo e me ajudou a me recuperar, em liberdade”, contou Rogers, explicando que aquele foi “o momento mais importante” de sua vida. “Eu serei sempre grato pela vida daquela pessoa”.
Ele também se lembra de uma canção que sua mãe lhe enviou enquanto ele esteve preso. “Eu clamo a Ti, Senhor, pois estou desesperado na minha súplica. Salva-me da minha prisão, para que um justo possa encontrado em mim e cantar as suas boas obras”.
Rogers diz que sabe que Deus o ama e confia em Seus planos para a sua vida.

Ore: terremoto deixa mortos na Itália

4 de agosto de 2016
Todos os missionários de Missões Mundiais na Itália encontram-se bem, após o terremoto de magnitude 6,2 que atingiu a região central do país durante a madrugada, deixando inicialmente 38 mortos. A informação é do coordenador dos missionários da JMM na Europa, Pr. Paulo Pagaciov.
A cidade de Amatrice foi praticamente destruída e boa parte de sua população está sob escombros. Os maiores danos aconteceram nas cidades de Arquata del Tronto e Pescara del Tronto, Ascoli Piceno, em Amandola (Fermo) e Gualdo (Macerata).
Após o forte tremor, vários tremores secundários foram registados perto de Amatrice e de Norcia, e o principal chegou a ser sentido em Roma e no Vaticano.
O terremoto ocorreu perto de Áquila, onde em 2009 aconteceu um forte sismo de magnitude 6,3 que causou mais de 300 mortes e devastou a região de Abruzos e o centro histórico local.
“A Itália acordou mais triste nesta quarta-feira (24) após este terremoto de grandes proporções ter devastado várias cidadezinhas do centro da Itália e se fez sentir também aqui em Roma, mas graças a Deus por aqui só ocorreram tremores”, diz nosso missionário em Roma, Pr Fábio Pisa.
Ele pede orações por duas famílias que moram na cidade de Amatrice e que perderam tudo: Ariana, Angelo e filhos; e Domenica, Michele e filhos. O missionário iniciará uma campanha para arrecadação de gêneros de primeira necessidade que serão levados às vítimas.
“Foram 39 tremores de terra em pouco mais de três horas. Irmãos, hoje já chorei diante de Deus! Que tristeza! O pior é a situação dessas pessoas nos próximos dias. Uma Itália que não consegue abrigar com dignidade os refugiados agora terá mais esse grande desafio. Estamos falando de milhares de pessoas. O que nos resta é orar! E tentar fazer algo, mesmo que pouco, para aliviar a dor dessas pessoas”, conta-nos o Pr Fábio Pisa via WhatsApp.
Ouça entrevista
Também em Roma, o Pr Rodrigo Zuliani foi acompanhar uma pessoa ao hospital. Ele e o Pr Fábio Pisa estão em contato com amigos que sentiram os tremores. Nossos missionários estão se mobilizando para ajudar as vítimas.
“O Senhor nos guardou. Obrigada pela preocupação e carinho de todos”, diz Elaine Zuliani, missionária e esposa do Pr Rodrigo.
Segundo nosso missionário cuidador na Europa, Pr. José Calixto Patrício, pelas imagens apresentadas na TV, onde algumas aldeias foram grandemente afetadas, talvez o número de mortos seja elevado nas próximas horas.
“Que o Senhor console os corações de todas as famílias enlutadas e dê sabedoria  às autoridades na busca por sobreviventes. Ore conosco por todos os nossos colegas na Itália e pelo povo italiano”, pede o Pr Calixto.
O terremoto também foi sentido na cidade de Cesena, onde está o nosso missionário Pr Fabiano Nicodemo. Graças a Deus, ele e a família estão bem. Ele diz que no epicentro do terremoto, que ocorreu a apenas 4km de profundidade, muitas pessoas estão neste momento debaixo de escombros.
“Obrigado por suas orações. Peço orações pelas famílias atingidas, pelas autoridades e por proteção civil nas operações de resgate. Infelizmente, apesar de serem cidades pequenas, havia muitos turistas nestes dias, o que pode fazer o número de vitimas ser bem maior do que a proporção da população que ali reside. A Itália é um pais com forte incidência sísmica. Oremos para que esta nação venha ao Senhor Jesus”, conta o Pr Nicodemo.
Pr Fabiano Nicodemo, que está há 18 anos em Cesena, cita o mapa que mostra a área atingida pelo terremoto. Uma faixa territorial que vai desde o sul de Roma até Cesena (são cerca de 340 km).
Ele diz que durante todos estes anos que mora em Cesena,  já presenciou vários terremotos, mas em todas a vezes o Senhor os protegeu.
Precisamos de suas orações para que Deus continue guardando nossos missionários e faça Cristo conhecido entre os que sobreviveram a esta tragédia. Interceda para que nossos missionários sejam usados para abençoar aquelas vidas.
Você também pode levar esperança à Itália. Oferte a um dos nossos missionários no país para que possamos prosseguir com o atendimento a estas pessoas que tanto sofrem com o terremoto. Entre em contato com a nossa Central de Atendimento: 2122-1901 (de cidades com DDD 21) 0800 709 1900 (demais localidades) e também por WhatsApp: (21) 98368-9999.
Se preferir, envie e-mail para: centraldeatendimento@jmm.org.br.

Pages